Vitória recoloca Alonso na briga

Espanhol faz a festa da Ferrari em Monza, com Button em 2º e Massa em 3º, e anuncia que[br]vai lutar pelo título

Livio Oricchio, O Estado de S.Paulo

13 de setembro de 2010 | 00h00

Aconteceu exatamente o que Fernando Alonso mais desejava, ontem, em Monza: "Na corrida de Spa, os líderes do Mundial venceram e nós, atrás deles na classificação, tivemos problemas. Aqui foi o contrário. Não poderia ser melhor em termos de campeonato." Emocionado por conquistar a primeira vitória com a Ferrari diante dos italianos, numa linda festa na cerimônia do pódio, Alonso falou sobre poder ser campeão: "Restam cinco etapas e o segredo para vencer será a constância no pódio."

O resultado do GP da Itália reabriu a disputa. Jenson Button, da McLaren, ficou em segundo e Felipe Massa, Ferrari, em terceiro. Mas o então líder da temporada, Lewis Hamilton, da McLaren, abandonou ainda na primeira volta depois de tocar na Ferrari de Massa. E o então vice-líder, agora primeiro colocado, Mark Webber, da Red Bull, caiu para nono na largada e chegou, ainda, em sexto. "Com esse sistema de pontos será assim até o fim, por isso não pode ocorrer conosco o mesmo de Spa, não marcar pontos. Se acontecer, será o fim dos nossos sonhos", disse Alonso.

Depois de 14 etapas, Webber lidera a classificação, com 187 pontos, seguido por Hamilton, 182. Mas os outros três candidatos ao título estão embolados e próximos: Alonso, agora terceiro, 166, Button, quarto, 165, e Sebastian Vettel, da Red Bull, quarto ontem em Monza, com uma estratégia espetacular, ocupa o quinto lugar, com 163 pontos. Massa, com 124, tem chances apenas matemáticas.

Disputa acirrada. Apesar de largar na pole position, Alonso foi ultrapassado por Button, segundo no grid. E mesmo sendo cerca de 10 km/h mais lento no final das retas, o competente inglês - e atual campeão do mundo - mantinha-se na ponta. O acerto aerodinâmico escolhido, com mais carga, lhe permitia frear e tracionar melhor. Assim, a prova se desenvolvia com Button na frente, Alonso, segundo, e Massa, terceiro, todos próximos.

A surpresa da prova foi a resistência dos pneus macios da Bridgestone, pois Button fez sua parada apenas na 36.ª volta (a corrida teve 53), Alonso na 37.ª e Massa na 38.ª. "Não conseguia me aproximar de Jenson para tentar ultrapassá-lo e entendi que teria de ser no pit stop. Sabia que se fizesse uma volta muito rápida quando ele parasse eu teria uma chance", contou Alonso.

Massa tentaria a mesma manobra com o inglês para ganhar o segundo lugar. Deu certo: na operação de pit stop, Alonso saiu dos boxes lado a lado com a passagem de Button e conseguiu manter-se em primeiro. "Com minha maior velocidade nas retas seria difícil para Jenson me ultrapassar."

Emoção. O espanhol comparou a vitória de ontem com a obtida em Barcelona, em 2006. "Milhares de pessoas em baixo do pódio, emocionante. A de hoje foi uma das vitórias mais importantes da minha vida." Em 2007, ele também ganhou o GP da Itália. "Sim, mas pela McLaren, adversária da Ferrari. Agora estava do mesmo lado da torcida."

Já o atual campeão do mundo, Button, comentou que o segundo lugar foi um bom resultado. "Eu me mantenho na luta pelo título. Se estivermos competitivos também nas demais corridas, temos chances."

Se o pit stop de Alonso foi impressionantemente eficiente (leia abaixo), não se pode dizer o mesmo do de Massa. "Se não tivesse perdido tempo talvez desse para sair na frente do Button também." Mas como o companheiro Alonso, Massa fez questão de descrever a sensação do pódio, seu primeiro em Monza: "É fantástico, você não vê o asfalto, apenas milhares de pessoas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.