Vitória recoloca o Palmeiras na liderança

Sem brilho, equipe de Felipão faz o suficiente para vencer o Guaratinguetá por 3 a 2; Arthur e Barcos voltam a fazer gols

DANIEL BATISTA, O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2012 | 03h02

Como aconteceu no jogo passado, na vitória sobre o Ituano, Barcos e Arthur, os novos reforços do Palmeiras, fizeram a diferença e a equipe venceu de virada o Guaratinguetá por 3 a 2 em uma partida que a equipe alviverde não encantou, mas cumpriu com a obrigação e recuperou a liderança do Paulista.

Antes de começar o jogo, Felipão disse que mesmo diante de um adversário que está na zona do rebaixamento, com apenas três pontos, era necessário respeitá-lo para conseguir ser respeitado. Mas o Palmeiras levou muito ao pé da letra e não incomodou o Guará no início da partida.

O primeiro tempo ficou marcado pela correria, mas poucas jogadas de emoção e o jogo chegou a dar sono. Mas entre um cochilo e outro, o Guaratinguetá aproveitou um minuto de desatenção da defesa palmeirense e abriu o placar.

Aos 10, Pio dominou na direita e, sem marcação, acertou uma bomba sem chances para Deola que, adiantado, saltou, mas não viu a cor da bola. O placar adverso fez com que o Palmeiras acordasse para o jogo.

No entanto, como se tornou corriqueiro em jogos do Palmeiras, a equipe conseguiu marcar graças a uma cobrança de escanteio. Aos 18, Marcos Assunção cobrou, o goleiro e o zagueiro Fernando se atrapalharam e a bola sobrou para Arthur, que bateu seco na bola e deixou tudo igual.

A partir daí só deu Palmeiras e a virada parecia uma questão de tempo. Nem mesmo a lesão de Arthur, aos 32, atrapalhou o time. Ligado, Maikon Leite recebeu dentro da área e, na hora de chutar, foi tocado de leve por Daniel, expulso pela penalidade.

O sério goleador Barcos bateu com categoria e virou o jogo. Ele pode não gostar de apelidos e brincadeiras, mas mais uma vez mostrou personalidade e tranquilidade para fazer gols.

Pressão e gol. No segundo tempo, com um jogador a mais, a expectativa era de que o Palmeiras fosse para cima e garantisse logo um placar mais tranquilo, mas não foi o que aconteceu.

A equipe voltou acomodada, como aconteceu no início do jogo. Em ritmo de treino, o Palmeiras preocupou-se mais em tocar a bola e, quando a situação apertava, abusava dos chutões para frente. Felipão percebeu a sonolência de sua equipe e, desesperado no banco de reservas, gritou mandando o time para cima. Mas não era atendido.

Tudo mudou aos 31, quando Maicon Baggio cometeu falta em Maikon Leite e também foi expulso. Com dois jogadores a mais, Felipão colocou Vinícius no lugar de Daniel Carvalho para tentar pressionar.

Os minutos finais foram marcados pelo confronto do ataque palmeirense contra a remendada defesa do Guará. O placar parecia que não seria movimentado até que, aos 41, João Vitor chutou de longe e o goleiro Jailson aceitou. Aos 48, Pio ainda descontou em cobrança de falta. Sem esforço, o Alviverde venceu e pôde curtir o carnaval na liderança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.