Vitória sem esforço na Vila Belmiro

Já rebaixado para a Segunda Divisão, Figueirense não impõe resistência ao Santos, que vence por 2 a 0

MATEUS SILVA ALVES, O Estado de S.Paulo

18 de novembro de 2012 | 02h05

O futebol que o Santos mostrou contra o Figueirense não foi brilhante. Nem chegou perto disso, aliás. Mas o que o time alvinegro jogou na Vila Belmiro foi suficiente para derrotar os catarinenses por 2 a 0 e levar o clube de volta ao grupo dos dez primeiros colocados do Campeonato Brasileiro. O que não quer dizer absolutamente nada, como se sabe.

Já que o Santos não tem mais nada a perder no Brasileiro - nem a ganhar -, sua torcida esperava ver um futebol desembaraçado ontem. Com jogadores leves e habilidosos no ataque (Patito Rodríguez, Felipe Anderson, André e, evidentemente, Neymar), era de se esperar uma atuação descontraída, capaz de divertir o público que foi à Vila Belmiro. Só que no primeiro tempo o que a equipe santista mais fez foi irritar os seus torcedores.

O Santos passava muito tempo no campo do Figueirense, mas nem por isso conseguia incomodar a defesa catarinense. As tentativas de trocas de passes eram um desastre, com um erro atrás do outro. Os laterais, Bruno Perez e Juan, mostravam a cada investida no ataque por que dificilmente continuarão no clube no ano que vem.

Sobrava, então, a jogada de sempre: bola para Neymar e ele que se vire. E na primeira etapa o craque não conseguiu se virar muito bem. Quando o Figueirense não parava o atacante na bola, o parava na falta. E assim o Santos se afundava diante de um time já rebaixado. Que, diga-se de passagem, era a equipe que mais perto conseguia chegar do gol de abertura do placar.

O primeiro tempo só não foi um desastre para o Santos por causa de uma jogada. A poucos minutos do intervalo, Felipe Anderson invadiu a área adversária pela direita, aos trancos e barrancos, e rolou para Patito marcar de letra. Um golaço do argentino, que chegou ao clube como grande promessa para logo se tornar uma enorme decepção.

Como Neymar continuou apagado no segundo tempo, o Santos em nenhum momento encantou sua torcida. Mesmo assim, conseguiu marcar o segundo gol, com Felipe Anderson. E outros tentos poderiam ter saído, mas a equipe estava tomada pela preguiça, já que o Figueirense nada lhe exigia. E não há como negar: a melhor notícia para a torcida alvinegra é que falta um jogo a menos para 2012 acabar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.