Vôlei: Bernardinho vence Zé Roberto

No duelo entre Bernardinho e José Roberto Guimarães nesta sexta, pela Copa Salonpas de Vôlei, no Ginásio do Ibirapuera, foi o técnico da Seleção Brasileira Masculina quem se deu melhor: sua equipe, o Rexona/Ades, bateu o Finasa/Osasco, de Zé Roberto, técnico da Seleção Feminina, por 3 sets a 1 (25/22, 25/19, 15/25 e 26/24). Os dois times já estão classificados para as semifinais da competição que envolve seis times de quatro países, a partir das 15h.Fora da quadra, Zé Roberto e Bernardinho alternavam momentos de silêncio, berros e indignação com suas atletas. Bernardinho falou pouco sobre o assunto. "O duelo fica para as duas equipes. É bom vencer qualquer jogo", declarou. Em relação à possibilidade de Rexona e Finasa fazerem a final da Superliga, o técnico apontou outra equipes como boas adversárias: "Todo mundo diz que a final vai ser Rexona e Finasa, mas vejo o time de Campos, Minas e Brasília vindo forte. O jogo foi o primeiro confronto de uma longa série entre essas duas equipes, e que só fará bem para os times no futuro." Zé Roberto ficou extremamente irritado com as questões em relação ao confronto com o técnico da Seleção Masculina. "Eu não vou responder o que você quer. Para mim, esse é um jogo como qualquer outro, como se qualquer outro técnico estivesse no outro time. Não tem essa de duelo, para mim não muda nada", respondeu. "Não sou o público, não sei se vieram para ver o jogo por causa disso." Sobre o Rexona - que ganhou os dois primeiros sets, perdeu o segundo e ganhou quarto de virada, quando perdia por 24 a 20 - o treinador do Finasa afirmou: "É uma equipe muito bem estruturada, com bom volume de jogo, bom passe. Será um time muito difícil de ser batido." Quando questionado se o adversário realmente será um dos maiores favoritos na conquista da Superliga Zé Roberto rebateu: "Isso é pergunta que se faça? Acho que isso é desnecessário." Para as jogadoras, porém, o duelo entre os técnicos das Seleções Brasileiras foi bastante interessante. "Já trabalhei com os dois, e sei que são excelentes técnicos. O público certamente veio ao jogo ver esse jogo com os dois treinadores das Seleções", disse a meio-de-rede Fabiana, do Rexona. A ponta Nikolle, do time de Osasco, concordou: "Certamente o pessoal veio ver Bernardinho e Zé Roberto. Eles são grandes técnicos, e nem sempre se enfrentam." Aos 19 anos, Nikolle puxou para si a responsabilidade de tentar a virada para o Finasa. "Faltou concentração para a gente desde o começo do jogo, e principalmente no finalzinho. Mas acho que fizemos um bom jogo, de qualquer forma. Essa oportunidade que estou tendo de atuar está sendo muito importante", disse a jogadora. Zé Roberto emendou: "O que faltou para fechar o quarto set? Raciocinar. Mas não posso dizer que estou desapontado porque nosso time jogou muito bem. O que precisamos ainda é dar maior ritmo de jogo ao grupo e para a (levantadora) Giselle, que está jogando há um mês no grupo." A surpresa do jogo ficou para a entrada de Mari, que se recupera de contusão no abdômen. Relacionada para ficar apenas entre as reservas do time paulista, ela acabou jogando no meio-de-rede e pontas. "A dor no abdômen ainda incomoda. Mais do que a dor no ombro. Joguei mais como teste", disse.A semifinal do torneio internacional será neste sábado com o vencedor do jogo entre USC-Munster, da Alemanha, e Havana Club, de Cuba.A outra semifinal será disputada entre Finasa e MRV/Minas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.