Vôlei de praia: sorteio ruim para Brasil

O sonho brasileiro de colocar quatro duplas nas finais olímpicas do vôlei de praia terminou nesta quinta-feira, após o sorteio dos confrontos das oitavas-de-final. Caso as quatro duplas do Brasil vençam seus jogos na próxima fase, terão de se enfrentar logo na fase seguinte. Desta forma, duas delas estarão eliminadas antes da disputa por medalha. O cruzamento logo nas quartas-de-final, ocorreu por causa das derrotas, nesta quinta-feira, de Ana Paula/Sandra e de Márcio/Benjamin. Entre os jogos de Atlanta-96 e Sydney-2000, o Brasil tem cinco medalhas na modalidade. A expectativa era de mais quatro medalhas.Os brasileiros prederam para duas duplas alemãs. Ana Paula/Sandra foram derotadas por Lahme e Musch por dois sets a um, de virada, parciais de 19/21, 21/15 e 15/11. Marcio/Benjamin, por sua vez, perderam para Dieckmann e Scheuerpflug - parciais de 21/19 e 21/17. Em compensação, Adriana Behar e Shelda e Ricardo e Emanuel mantiveram a ivencibilidade (3 vitórias). As meninas ganharam das cubanas Fernandez Grasset e Larrea Peraza por 2 sets a 0, parciais de 21/14 e 21/19. E os garotos fizeram 21/17 e 21/10 contra os americanos Holdren e Metzger. ALERTA - Após a derrota para Lahme e Musch, Ana Paula e Sandra admitiram a má atuação, que serviu como alerta. "Nada funcionou. Faltou bloqueio e defesa e tínhamos que sacar melhor. Isso é bom para ficarmos mais atentas e não relaxar. A partir de agora, não dá mais para falhar. Se abrir muito o placar, não dá mais para recuperar", disse Sandra. Para Ana Paula, o fato de já estarem classificadas contribuiu para o mau desempenho da dupla, mas não foi decisivo: "Entramos mais relaxadas por causa da classificação. Mas elas também jogaram melhor". Já Adriana Behar e Shelda esbanjaram alegria no fim do jogo contra as cubanas Fernandez Grasset e Larrea Peraza. As duas duplas disputavam a primeira colocação do Grupo B. "Conseguimos nosso primeiro objetivo, que era sair em primeiro lugar na nossa chave. Agora, não dá para escolher adversário. Temos que ganhar de qualquer um", disse Shelda. "Jogamos muito bem, mas eu vacilei em algumas bolas. A Shelda jogou muito, fez defesas dificílimas de bolas praticamente perdidas. E eu levantei mal algumas dessas jogadas", comentou a exigente Adriana, já pensando na próxima fase. "Quem perder está fora. Então, temos que acreditar em todas as bolas e não cometer uma seqüência de erros como aconteceu no segundo set", disse Adriana, referindo-se a um momento de recuperação das cubanas, que viraram uma desvantagem de 9/4 para 11/10 no segundo set. Veja os confrontos:Ricardo e Emanuel x Jorre Kjemperud e Vega Hoidalen (NOR) Márcio e Benjamin x Paul Laciga e Martin Laciga (SUI)Adriana Behar e Shelda x Lina Yanchulova e Petia Yanchulova (BUL) Ana Paula e Sandra x Vasso Karadassiou e Efi Sfyri (GRE)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.