Vôlei do Brasil vence e garante vaga

Não foi tão fácil quanto no jogo de sábado mas, beneficiado pela vitória da Venezuela sobre Portugal por 3 sets a 0 (25/20, 25/22 e 25/19), o Brasil conquistou a vaga para a fase final da Liga Mundial de Vôlei Masculino com a segunda vitória sobre a seleção do Japão por 3 sets a 0 ( 25/20, 25/16 e 25/23). A equipe, no entanto, ainda tem dois confrontos contra a Venezuela na próxima semana antes de seguir para a Sérvia e Montenegro, palco da decisão do título, entre os dias 8 e 10 de julho.Apesar da vitória em três sets, o Brasil teve mais dificuldade para vencer do que no sábado. Por um lado, porque o time do Japão, formado por jogadores jovens, não se mostrou tão intimidado pela torcida quanto no dia anterior. A equipe do técnico Tatsuya Ueta também diminuiu os erros e mostrou seu ponto forte: a defesa. Do lado brasileiro, o time errou mais do que de costume, especialmente no terceiro set, quando permitiu empates no 16º e no 17º ponto, feito comemorado com entusiasmo pelos adversários.?O time teve um pequeno apagão, mas é preciso ressaltar o lado positivo de que esses momentos têm sido cada vez menos constantes?, observou Bernardinho. Para o treinador, no entanto, os erros de saque não chegam a ser preocupantes, uma vez que orientou os atletas a forçar mais esse fundamento contra os japoneses.Bernardinho também avaliou atletas individualmente, ressaltando que o rendimento geral foi ?de regular para bom?. ?O Anderson entrou em quadra meio constrangido, talvez chateado por ter jogado somente no fim da partida. Mas é preciso ter em mente que é necessário estar sempre pronto para render quando o time precisa?, disse o treinador. Sobre André Nascimento, observou que o jogador não entrou tão alegre e solto como de costume. No caso de Dante, ressaltou que o jogador foi chamado a treinar saques no treino depois do jogo de sábado. ?Mas não como punição. Apenas tento fazer com que ele atinja a condição para ser aquilo que pode proporcionar ao time?, disse o técnico.Os jogadores admitiram que não mostraram o melhor. ?Jogamos mal de maneira geral. Teríamos de melhor um pouco de tudo.? O levantador Ricardinho disse que a equipe foi bem no primeiro e segundo sets. ?Mas deu uma desconcentrada no terceiro.?O confronto contra a Venezuela terá valor por conta da rivalidade. ?Eles se acham melhores do que são?, diz Anderson. Bernardinho diz que respeita o jeito altivo do adversário, mas ressalta que a Venezuela ainda não mostrou sua força em jogos decisivos. ?Mas se a gente quebrar essa autoconfiança, melhor para nós.?TIME B? - Bernardinho afirmou que só não criou ainda uma seleção brasileira masculina B por falta de tempo. Assim, o treinador afirmou que, apesar da intenção de manter a base atual, pretende aumentar o grupo de atletas da seleção de 15 para 20 jogadores e avaliar alguns novos talentos. ?Na Copa América e nos jogos contra o Canadá, por exemplo, nenhum dos veteranos vai jogar?, avisa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.