Vôlei: Estefânia voltará a ser julgada

Em até 15 dias, a atacante Estefânia, de 32 anos, do Rexona/Rio de Janeiro, voltará a ser julgada por causa do resultado positivo para maconha do seu exame antidoping, realizado em outubro de 2004. Uma irregularidade jurídica obrigou o presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Vôlei, Luiz Zveiter, a anular o julgamento em que a atleta foi condenada a 120 dias de suspensão.Zveiter informou que antes de ser julgado pelo Tribunal de Justiça da Federação de Vôlei do Rio de Janeiro (TJD/Fverj), o caso deveria ter sido apreciado pela comissão disciplinar da entidade e, por isso, optou por anular o pleito. André de Souza Santos, um dos cinco auditores da comissão, contou que seu presidente, Eymard Duarte Tibães, durante esta sexta-feira conversou sobre o assunto com o presidente da Fverj, Carlos Reinaldo Pereira Souto."É uma possibilidade o novo julgamento ocorrer em até 15 dias, mas prefiro não me antecipar. Estamos conversando e em breve tudo será resolvido", disse André Santos.Em Campos para o quarto jogo pela semifinal da Superliga, neste sábado, contra a equipe local, Estefânia preferiu não se pronunciar sobre o assunto. Em seu nome falou o advogado do Rexona/Rio de Janeiro, Guilherme Rezende. "Por mim o julgamento pode ocorrer na semana que vem. Queremos acabar logo com isso", frisou. Destacou ainda que, caso a pena seja menor da fixada no pleito anulado, a atleta não vai processar a Feverj, apesar de já ter cumprido a sentença.Dos 120 dias a que foi condenada, Estafânia cumpriu 40. Beneficiada por um artigo do Código Disciplinar de Justiça Desportiva (CBJD) teve sua pena total reduzida à metade e, posteriormente, um terço foi revertida em prestação de serviços à comunidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.