Vôlei feminino vence e garante primeira posição do grupo A

Norte-americanas e cubanas estão no caminho para o ouro pan-americano da seleção brasileira

16 de julho de 2007 | 16h26

De forma tranqüila, a seleção feminina de vôlei venceu o México por 3 sets a 0, com parciais de 25 a 16, 25 a 15 e 25 a 17, na tarde desta segunda-feira, no Maracanãzinho, na última partida válida pelo grupo A dos XV Jogos Pan-Americanos, que estão sendo disputados no Rio de Janeiro.   Veja também:   Conheça os detalhes das modalidades em disputa    Quadro de medalhas Agora, o Brasil espera o vencedor de Estados Unidos x Canadá para saber quem será seu adversário na semifinal. Até o momento, a seleção não perdeu set algum, mas o técnico Zé Roberto não parece contente, reclamando mais uma vez dos problemas defensivos de sua equipe. A meio de rede Fabi, no entanto, justificou os erros. "Os erros são normais. A gente ficou muito tempo sem jogar."   Já classificada e diante de um adversário limitado, o Brasil entrou em quadra com uma equipe mesclada, dando ritmo de jogo a todas as jogadoras. O primeiro e segundo sets foram vencidos sem grandes problemas, apesar de alguns erros defensivos por falta de atenção.   Esforçada, a seleção mexicana chegou a passar o Brasil no terceiro set, mas as meninas brasileiras controlaram e fecharam o jogo em 25 a 17. "Nós não conhecíamos a equipe do México, e isto dificultou, mas o importante foi dar ritmo de jogo para todas as jogadoras para a fase final", disse Fabi, que mais uma vez deixou claro que a adversária a ser batida é Cuba. "Nós estamos nos preparando muito para a final, e deve ser Cuba. Estamos preparadas para elas."   Já para o técnico Zé Roberto, o adversário era muito inferior à seleção brasileira. "Esse é o tipo de jogo em que não se tem motivação. Você entra em quadra sem raiva, sem nada. Você até pensa, 'não posso bater muito forte, se não pode machucar'."   Mesma opinião tem a jogadora Mari. "O jogo serviu como bate-bola. Para todo mundo ir rodando e o corpo não ficar parado", disse. Sobre a equipe mexicana, o técnico foi duro. "Gostei de uma ou duas jogadoras."

Tudo o que sabemos sobre:
Pan 2007Vôlei

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.