Vôlei masculino é campeão Sul-Americano

O Brasil venceu a Venezuela, se classificou para a Copa do Mundo, no Japão, mas uma derrota na decisão do Sul-Americano neste sábado, poderia ter significado a saída do técnico Bernardo Rezende, o Bernardinho. Após a vitória por 3 sets a 0, parciais de 25/22, 26/24 e 25/22, em 1h18, o treinador confessou ter pensado em pedir demissão do cargo se colecionasse um novo insucesso. "Se agente jogasse mal e perdesse, era a hora de me questionar se deveria seguir ou não", disse Bernardinho. "Me coloco essa pressão, porque é preciso."Aliviado, Bernardinho gostou do desempenho da seleção contra os venezuelanos e frisou que o time voltou a exibir em alguns momentos um voleibol de alto nível. De acordo com Bernardinho, a seleção foi determinada, acreditou em bolas perdidas e apresentou consistência nos saques, características que, para ele, faltaram na derrota para a Venezuela pela semifinal dos Jogos Pan-Americanos de São Domingos. "A Venezuela não jogou mal, nós é que subimos de produção, como por exemplo, marcamos melhor do que no Pan", afirmou Bernardinho.Na segunda-feira, o técnico se reúne com o presidente da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), Ary Graça, para iniciar o planejamento à Copa do Mundo no Japão, em novembro, disputa que classificará os três primeiros colocados para os Jogos Olímpicos de Atenas.Os atletas também não esconderam que a ansiedade, o nervosismo e a pressão que predominaram no início da partida. Com sets bem disputados, a Venezuela dificultou a vitória brasileira, não permitindo ser "massacrada" no placar, como queriam os cerca de cinco mil torcedores que lotaram o Ginásio Miécimo da Silva, em Campo Grande. "A vitória teve um sabor especial, porque foi uma rixa que começou agora", destacou o oposto Anderson. Já o ponta Giba questionou as críticas que a equipe sofreu após o Pan-Americano, argumentando que o "Brasil nunca deixou de ser o Brasil".Mas o capitão Nalbert, que realizou uma bela partida, foi incisivo: "As coisas voltaram à normalidade. Voltaram a ser o que eram". Ao final do Sul-Americano, ele ficou com o título de melhor saque, a melhor recepção foi de Sérgio, o melhor ataque para Giba, o melhor bloqueio para Gustavo, e os argentinos Pablo Meana, e Hernan Ferraro foram eleitos respectivamente a melhor defesa e o melhor levantador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.