AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Vôlei: medalhistas desfilam no Rio

Com direito a desfile no carro do Corpo de Bombeiros pelas ruas da cidade, as duplas de vôlei de praia, Ricardo e Emanuel, medalha de ouro na Olimpíada de Atenas, e Adriana Behar e Shelda, medalha de prata, desembarcaram hoje pela manhã no Rio. Recebidos com festa por familiares e cerca de 100 torcedores, os atletas pararam o saguão do Aeroporto Internacional Tom Jobim, onde participaram da renovação do contrato de patrocínio entre a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) e o Banco do Brasil, no valor total de R$ 90 milhões, por quatro anos. "São muitos anos como atleta e tem horas que a maturidade chega. Hoje, tenho capacidade técnica e tática para jogar. Sou mais completo", disse Emanuel, que em seguida ressaltou a importância de ter tido Ricardo a seu lado. E, como agradecimento, ouviu do parceiro que a união de ambos e a determinação na busca pela medalha de ouro foram decisivas à vitória. Ricardo ainda frisou que os resultados do Brasil nas três edições olímpicas realizadas com o vôlei de praia demonstraram que o País é uma "potência" na modalidade e, por isso, manter-se nesse nível será o desafio do futuro. Mas, de imediato, a dupla masculina só deseja comemorar com familiares e amigos o triunfo na Grécia. E, enquanto Ricardo e Emanuel festejam, Adriana e Shelda já pensam na penúltima etapa do Campeonato Mundial, previsto para ocorrer entre os dias 1º e 5 de setembro, em Milão, Itália. O interesse da dupla é o de obter o sexto título da competição, que terá sua última etapa disputada no Rio, entre os dias 20 e 25 de setembro. No masculino, Ricardo e Emanuel já foram campeões por antecipação. "Começamos a treinar hoje lá na Grécia, porque na quarta-feira embarcamos para Milão", disse Shelda, ressaltando a importância da medalha de prata, ao contrário do que ocorreu na conquista de Sydney, em 2000. "Na Austrália nós éramos favoritas e perdemos. Agora, realmente as americanas (Walsh e May) foram as melhores. E gente! Duas de prata valem uma de ouro!" Sobre o futuro da dupla, Adriana e Shelda não esconderam uma certeza: permanecerão juntas. E uma vontade: estar nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008. "Estamos juntas há nove anos e isso tudo estimula para que permaneçamos assim", afirmou Adriana, de 35 anos - Shelda tem 31 anos. "E, se persistirmos com a coragem, determinação e a alegria que temos hoje, teremos grandes chances de lutar pelo ouro em Pequim." Parceria - O Banco do Brasil renovou por mais quatro anos seu contrato de patrocínio com a CBV e, ao término do novo ciclo, a instituição financeira consolidará uma parceria de 17 anos com a entidade. Pelo novo compromisso serão investidos R$ 22 milhões por ano, corrigidos pela inflação.

Agencia Estado,

27 Agosto 2004 | 15h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.