Vôlei: Rexona aposta em Thaisa

Thaisa Daher era chamada de "Poste" e "Olívia Palito". Não saía de casa com vergonha da altura e da magreza. Nos ônibus para os treinos de vôlei, andava "curvada". Mas hoje, aos 18 anos, sua altura é motivo de orgulho: Thaisa é a jogadora de vôlei mais alta do Brasil - tem 1,96 m e alcança 3,24 m no ataque. Já foi campeã mundial juvenil. Agora reforça a Rexona nas semifinais da Salonpas Cup, no Ibirapuera, nesta sexta-feira: os jogos serão às 16h e às 18h. A entrada é grátis e a Bandsports transmite as duas partidas. Ao lado de Fabiana, outra meio-de-rede do time carioca, Thaisa forma o paredão do atual campeão do torneio. "Comecei a jogar com 10 anos. Sempre fui grande e magra. Por isso me chamavam de Girafa, Poste e Olívia Palito. Eu quase não saía, de vergonha. Depois vi que algumas meninas eram mais ou menos do meu tamanho". Os complexos acabaram. "Quando saio, ainda ponho salto alto. Quando comecei a jogar, as meninas falavam que queriam ser como eu. Hoje, se tiver de sair com um bando de ?anões?, saio, sem problema!", diz a jogadora, rindo. Ao lado de outras atletas da nova geração, Thaisa deve compor a equipe mais alta que o Brasil já teve. "Tem a Ana Tiemi, de 17 anos, uma levantadora bem alta (joga no Minas e tem 1,87 m - é a mais alta no Brasil em sua posição). Mas lá fora os times também estão ficando cada vez mais altos, principalmente Rússia e China", analisa. O único problema de Thaisa é arrumar namorado. "Meu ex jogava basquete, tinha mais de 2 metros... Complicado achar um alto, não é?" Na Superliga, pela Rexona, a atleta quer ganhar espaço. Ainda não teve muita chance de treinar com Bernardinho, o técnico, que está com a seleção masculina. "Ele não me assustou. Pelo pouco que treinamos, foi até tranqüilo demais".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.