Vôleio de praia: duelo de brasileiros

Os jogos de vôlei de praia são seguramente os mais alegres de toda a Olimpíada. Música durante os intervalos, shows tipicamente americanos com dançarinas de saia curta e muito barulho nas arquibancadas. A festa, hoje, foi inteira do Brasil. Ricardo e Emanuel derrotaram os noruegueses Kjemperud e Hoidalen por 2 sets a 1 (21/15, 19/21 e 15/6) e avançaram às quartas-de-final do torneio masculino. No feminino, Ana Paula e Sandra Pires atropelaram as gregas Sfyri e Karadassiou por 2 a 0 (21/16 e 21/19) e também foram às quartas. Nem tudo, porém, é motivo para comemoração no vôlei de praia. O sorteio das chaves não ajudou. Duas duplas brasileiras devem se matar já na próxima fase. Ricardo e Emanuel enfrentarão o vencedor do confronto Márcio e Benjamim x os irmãos Laciga, da Suíça, em duelo marcado para amanhã, às 9h30 (de Brasília). E Ana Paula e Sandra pegarão as ganhadoras de Adriana Behar e Shelda x as irmãs Yanchulova, da Bulgária, às 17 horas (de Brasília). Isso significa que apenas uma dupla brasileira terá chance de conquistar medalha, tanto no feminino, quanto no masculino. Se os brasileiros não se cruzassem nas quartas ou na semifinal, teriam oportunidade de disputar o título. O mais curioso dessa história é que todos são amigos e dividem o mesmo apartamento na Vila Olímpica. "A gente tem consciência de que uma coisa é dentro da quadra e outra é fora", declarou Emanuel. "Isso poderia ocorrer a qualquer hora, pena que foi muito cedo", acrescentou Ricardo. Os dois dormem em quarto próximo ao de Márcio e Benjamim, na mesma habitação. Mesma situação vivem Ana Paula e Sandra com Adriana Behar e Shelda. "É uma pena a gente se encontrar. Elas vão querer ganhar o ouro de qualquer jeito, porque perderam em Sydney", opinou Ana Paula. "Eu não torço por ninguém, torço por mim", disse Sandra. As meninas enfrentaram grande pressão da torcida, que lotou as arquibancadas do Centro Olímpico de Vôlei de Praia para torcer pelas atletas da casa, embora o jogo tenha começado apenas às 22 horas, da Grécia. Mesmo assim, jogaram melhor e ganharam com relativa tranqüilidade. Logo em seguida, às 23 horas, os homens entraram na praia artificial já com muitas cadeiras vazias. Os gregos não se interessaram pela partida entre brasileiros e noruegueses. Perderam um bom confronto. Emanuel e Ricardo foram bem no primeiro set, mas se perderam com o saque dos rivais no segundo. Na terceira e decisiva série, a dupla do Brasil massacrou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.