José Patrício/AE
José Patrício/AE

Volta de Liedson não foi suficiente

Técnico Tite afirma depois do jogo que ''as coisas só vão começar a fluir'' no Corinthians ''quando tiver os atletas no ritmo normal''

Bruno Deiro, O Estado de S.Paulo

15 de agosto de 2011 | 00h00

SÃO PAULO - O Corinthians dominou o primeiro tempo no Pacaembu, mas sentiu a ausência de um matador para evitar o sufoco após o intervalo. Liedson, que entrou na segunda etapa para tentar resolver o problema, mostrou falta de ritmo em seu retorno após lesão e não impediu o tropeço em casa.

"Espero que não precise jogar mais de 45 minutos, mas se precisar eu estou à disposição", garantiu o atacante, antes da partida. Tite admitiu que só iria usar o camisa 9 se fosse absolutamente necessário. "Não tenho nem 45 minutos dele com segurança. Seria fácil (colocá-lo como titular), mas irresponsável."

O camisa 7 Willian, como principal atacante, se movimentou bastante, mas não conseguiu render como jogador de área. Para piorar, perdeu uma chance clara logo aos 12 minutos, em passe de Paulinho. Sozinho com Diego, o atacante chutou fraco e a bola foi desviada pelo goleiro. "Há momentos em que se é superior ao adversário e é preciso traduzir em gols", lamentou Tite, após o novo tropeço em casa.

Depois do intervalo, com a pressão do Ceará, o treinador pôs Liedson no sacrifício. Aos 14, quando o atacante deixou a área de aquecimento, a torcida foi ao delírio no Pacaembu.

Em seu primeiro lance, porém, foi facilmente desarmado e permitiu um contra-ataque bastante perigoso do adversário. Nos sequência, pouco conseguiu produzir e sua melhor jogada foi no minuto final, quando quase completou de cabeça um cruzamento, que passou perto e foi o último instante de esperança da torcida corintiana.

Para Tite, a volta do atacante não é suficiente: o técnico pede paciência para que ele e outros que retornam ganhem condicionamento. "O Liedson volta, o Júlio César volta, mas eles vão sentir a falta de ritmo", disse o técnico. "O objetivo é ter todos os atletas no ritmo normal, e aí as coisas vão começar a fluir."

Retorno frustrado. A tarde no Pacaembu era a chance para Júlio César confirmar a condição de dono da camisa 1, mas não saiu como ele esperava. Mesmo apoiado pela torcida, o goleiro sofreu em sua volta com as falhas na zaga e certa falta de ritmo de jogo. Júlio César não falhou nos gols do Ceará, mas frustrou a torcida, que esperava tranquilidade após a passagem fraca de Renan pela posição.

No primeiro lance, Júlio César ganhou muitos aplausos após saída segura de gol. Em seguida, repôs a bola de forma errada, e novamente foi aplaudido. No primeiro gol, Chicão esperou sua saída, mas o goleiro ficou debaixo das traves e o atacante do Ceará aproveitou. No segundo, ainda conseguiu salvar a cabeçada com boa defesa, mas Rudnei aproveitou o rebote.

Veja também:

linkJOGO - Leia como foi Corinthians 2 x 2 Ceará

som ESTADÃO ESPN - Equipe recuou demais, diz Paulinho

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.