Voltando de lesão, Bolt garante presença no Mundial de Pequim

Às vésperas de voltar às competições, no fim de semana, Usain Bolt dissipou as suspeitas dos fãs e da imprensa e garantiu presença no Mundial de Atletismo, que será disputado em Pequim, entre 22 e 30 de agosto. O velocista jamaicano afirmou nesta quinta-feira que "vai aparecer" em Pequim, após disputar a etapa de Londres da Diamond League, nesta sexta e no sábado.

Estadão Conteúdo

23 de julho de 2015 | 15h36

"Quando chegar o Mundial, se alguém sabe alguma coisa sobre mim, sabe que eu vou aparecer", declarou Bolt, que vai disputar os 100 metros em Londres, nesta sexta. O retorno do astro às pistas gera expectativa porque ele tem feito temporadas irregulares, o que foi agravado por uma lesão na perna esquerda, constatada em junho.

O problema físico, próximo ao quadril, tirou o velocista de duas etapas da Diamond League, em Paris e Lausanne, no início do mês. Bolt se recuperou nas últimas semanas e confirmou presença em Londres. Seu desempenho, contudo, segue uma incógnita. "Eu não saberei como vou correr até amanhã. Venho treinando bem, trabalhando duro. Tudo vai depender da execução correta dos movimentos", comentou o atleta de 28 anos.

Recordista mundial dos 100 metros, Bolt vem dominando a prova desde 2008. Desde então, foi campeão olímpico e mundial duas vezes e quebrou duas vezes o recorde, tudo isso somente nos 100 metros. Neste ano, porém, ele pode ver sua hegemonia ser quebrada pelos rivais. O maior candidato a derrubar Bolt é o norte-americano Justin Gatlin, que cravou a melhor marca da temporada, com 9s74, em maio. O jamaicano ainda não correu abaixo dos 10s em 2015.

Mesmo assim, ele não se preocupa com o crescimento dos rivais. "Não planejo perder. Eu nunca me preocupo somente com uma pessoa. Para mim, os tempos não importam", afirmou o dono do recorde mundial, de 9s58, registrado no Mundial de Berlim, em 2009. "Tenho certeza que, quando eu chegar no Mundial, farei uma boa prova. Se eu estiver em boa forma, não terei motivos para me preocupar."

O jamaicano aposta no treinador Glen Mills para alcançar sua melhor forma novamente no Mundial. "Eu nunca me preocupo com isso porque ele sempre dá um jeito de me deixar pronto para correr. Tudo que tenho que fazer é trabalhar. Preciso treinar minha largada e a parte final. Estamos focados nisso", declarou Bolt.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoDiamond LeagueBolt

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.