Kelly Cestari/WSL
Kelly Cestari/WSL

Voltando de punição, Filipinho conquista etapa da África do Sul no surfe

Brasileiro supera Frederico Morais e garante primeira vitória do País em Jeffreys Bay, uma das mais tradicionais provas do Circuito Mundial

O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2017 | 08h05

O brasileiro Filipe Toledo confirmou o bom momento vivido durante toda etapa de Jeffreys Bay, na África do Sul, e garantiu o título da sexta prova do Circuito Mundial de Surfe. Em final muito acirrada, o surfista nascido em Ubatuba somou 18 pontos com suas duas melhores ondas e derrotou o português Frederico Morais por uma diferença de apenas 27 centésimos.

 

Além de garantir a primeira vitória do Brasil em uma das mais tradicionais provas do surfe, o resultado teve uma sabor especial para Filipinho, como é conhecido. Punido pela organização mundial de surfe, por conta de briga com juízes em Saquarema , no Rio de Janeiro, ele acabou ficando de fora da última da prova de Fiji.

Com a conquista desta quinta-feira, Filipinho alcança a sétima posição no ranking mundial, liderado pelo australiano Matt Wilkinson. John John Florence (Havaí) e Jordy Smith (África do Sul) completam o pódio. O melhor brasileiro na briga é Adriano de Souza, quinto colocado geral. Campeão mundial em 2014, Gabriel Medina é apenas o nono. A elite do surfe volta a competir no próximo mês no Taiti, em janela que vai entre os dias  11 e 22 de agosto.

Para chegar até a final, Filipe Toledo teve uma performance muito consistente durante toda a etapa. A única derrota veio na primeira rodada, quando foi superado por Michel Bourez. Já na repescagem seguinte conseguiu sua primeira nota 10, quando derrotou o norte-americano Kanoa Igarashi somando 19.63. Na terceira bateria da quarta rodada, contra Jordy Smith e Julian Wilson, o brasileiro avançou com 19.00 pontos, conquistados com três aéreos, sendo dois na mesma onda e garantindo seu outro 10 na África do Sul. No caminho para a decisão, também ficaram pelo caminho do brasileiro Jordy Smith e Julian Wilson. 

 

 

E por pouco a final em Jeffreys Bay foi verde e amarela. Surpresa na competição, o português Frederico Morais conseguiu acertar suas duas primeiras ondas na bateria e eliminou nas semifinais Gabriel Medina, ao somar 17.37 contra 14.70.

Etapa marcada por tubarões

Em dois momentos diferentes, o evento teve que ser paralisado pela organização. Na terça-feira, Jordy Smith, Filipe Toledo e Julian Wilson se enfrentavam quando foi emitido um alerta de que tubarões estavam se aproximando da área onde os surfistas competiam. O fato se repetiu na quarta-feira, quando Gabriel Medina e o australiano Mick Fanning duelavam pelas quartas de final. O 'visitante' estava apenas de passagem e as provas foram retomadas no mesmo dia. 

Jeffreys Bay foi palco do único ataque de tubarão registrado na história do Circuito Mundial de Surfe. Em 2015, Jordy Smith e Fanning se enfrentavam na final da etapa quando o australiano, tricampeão mundial, precisou ser resgatado da água depois de ser derrubado de sua prancha. Desde então, a organização do campeonato vem apostando na tecnologia para evitar novos incidentes e evitar que os surfistas corram novos riscos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.