Volvo Ocean Race parte para a terceira etapa

Seis veleiros, entre eles o Brasil 1, partem a uma hora da tarde de domingo no horário local (meia-noite de sábado no horário de Brasília) para a terceira etapa da Volvo Ocean Race. A organização da maior regata de volta ao mundo espera reunir cerca mil barcos na enseada de Phillip Bay, em Melbourne, na Austrália, para acompanhar a saída dos competidores - o destino será Wellington, na Nova Zelândia.Para os australianos que forem ao porto de Docklands, construído para a passagem da prova, uma decepção. O veleiro da Austrália (Brunel), do comandante Grant Wharington, desistiu de participar das próximas três pernas para passar por modificações e voltará para a competição apenas nos Estados Unidos.Enquanto isso, a tripulação do Brasil 1 está otimista. Depois de enfrentar dificuldades na etapa entre a África do Sul e a Austrália, o barco passou por reparos e mostrou um ótimo desempenho na regata disputada em porto fechado ? liderou 80% do percurso, mas terminou em quinto lugar. ?O barco está perfeito. Se olharmos para a quantidade de pontos que faltam ser disputados, pode-se dizer que ainda nem começou?,avalia o timoneiro do Brasil 1, Andre Fonseca.Depois de quatro dias passando pelos últimos reparos, o Brasil 1 deixou o ancoradouro nesta sexta-feira e fez os testes com o novo mastro, além do comandante Torben Grael organizar um pequeno treino com o time de tripulantes.Os 2.700 quilômetros entre Melbourne e Wellington, capital da Nova Zelândia, devem ser percorridos em aproximadamente quatro dias. A distância curta faz com que os barcos não se afastem muito e assim, qualquer diferença de velocidade pode influenciar muito noresultado. Os veleiros devem chegar a Welington a partir do dia 15 e largam para a quarta etapa, a mais longa e difícil da prova, até o Rio de Janeiro, no dia 19.O veleiro holandês ABN Amro 1 lidera a Volvo Ocean Race com 32,5 pontos, seguido do compatriota ABN Amro 2, com 25. Na terceira colocação segue o espanhol Movistar, com 18 pontos acumulados. Os norte-americanos do Piratas do Caribe tem 16,5 pontos na quarta posição e são seguidos de perto pelo Brasil 1, com 16. O sueco Ericsson está em sexto, com 14,5 pontos, e em último lugar ficaram os australianos do Brunel, com 11,5 pontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.