Christinne Muschi/Reuters
Christinne Muschi/Reuters

Wada revela que inspeção em laboratório russo continuará por mais tempo em Moscou

Agência Mundial Antidoping nega que autoridades russas tenham imposto obstáculos ao trabalho feito pelos especialistas

Redação, Estadao Conteudo

16 de janeiro de 2019 | 15h43

A Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) informou nesta quarta-feira que vai estender a sua visita de inspeção ao laboratório de Moscou por mais alguns dias, mas negou que as autoridades russas tenham imposto novos obstáculos ao trabalho feito por seus três especialistas desde a semana passada.

"A investigação requer mais tempo do que se pensava inicialmente, mas o grupo não encontrou problemas concretos ou dificuldades na realização do seu trabalho", informou a Wada por intermédio de um comunicado oficial.

O chefe da Wada, Craig Reedie, estava "decepcionado" no primeiro dia do ano pelo fato de a Rússia obstruir no final de dezembro o trabalho da comissão técnica com o argumento de que o equipamento utilizado não havia sido aprovado no país.

Quando a Wada informou que não poderia completar os trabalhos até a data limite - 31 de dezembro -, muitas opiniões nos Estados Unidos e em outros países ocidentais se posicionaram a favor de não mais confiar na Rússia e suspendê-la até novo aviso a Agência de Antidoping Russa (Rusada, na sigla em russo).

Em 20 de setembro, a Wada readmitiu diante de algumas condições a Rusada, que havia sido suspensa por três anos após acusações de uso de doping.

Entre as condições que a Rusada deve cumprir antes da reabilitação total é dar pleno acesso à Wada aos dados e testes realizados pelo antigo laboratório antidoping de Moscou.

 

Mais conteúdo sobre:
Agência Mundial Antidoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.