Martin MeissnerAP
Martin MeissnerAP

Wada vai à CAS por pena dura a tricampeão olímpico chinês por violação antidoping

Sun Yang está envolvido em um caso de destruição de uma amostra de controle de doping

Redação, Estadão Conteúdo

13 de março de 2019 | 13h26

Um caso de doping envolvendo o nadador chinês Sun Yang será avaliado pela Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) e pode levar a uma suspensão que o afaste das competições, incluindo os Jogos Olímpicos de Tóquio de 2020.

A Agência Mundial Antidoping (Wada) apelou contra uma decisão tomada pela Federação Internacional de Natação (Fina) que apenas advertiu o dono de três medalhas de ouro olímpicas em um caso envolvendo a destruição de uma amostra de controle de doping, disse a CAS nesta quarta-feira.

O jornal britânico The Sunday Times relatou incidentes envolvendo Sun Yang quando um profissional do controle de doping visitou sua casa na China em setembro passado. Um frasco com a amostra de sangue do nadador teria sido quebrado com um martelo e seu staff teria brigado com o funcionário.

A CAS disse que não definiu uma data para a audiência. Não está claro se o recurso do caso pode ter um veredicto antes do Mundial de Esportes Aquáticos, marcado para julho, em Gwangju, na Coreia do Sul. Também não foi revelado se poderá ser buscado um julgamento acelerado.

Sun Yang, de 27 anos, cumpriu três meses de suspensão em 2014 por testar positivo para uma substância então classificada como um estimulante. E uma nova violação das regras antidoping poderia render uma punição mais severa.

O chinês ganhou medalhas de ouro nas últimas duas edições da Olimpíada. Em 2012, venceu as provas dos 400m livre dos 1.500m. E em 2016 foi campeão nos 200m livre. Também faturou nove ouros nas últimas quatro edições do Mundial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.