Wada vê com cautela anistia para quem admitir doping

A proposta do organismo gestor do ciclismo mundial de oferecer anistia aos atletas que confessarem o uso de substâncias proibidas está levando esse esporte a um "território desconhecido", expressou nesta quinta-feira o diretor da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês).

AE-AP, Agência Estado

13 de setembro de 2012 | 15h22

David Howman disse que tais indultos não são parte das regras da organização antidoping. "Você está entrando em território desconhecido, mas não teriam encontrado o mundo se não tivesse entrado em um território desconhecido" disse.

Porém, Howman afirmou que vai esperar para ver mais detalhes da proposta que foi apresentada pelo presidente da União Ciclística Internacional (UCI), Patrick McQuaid. Ele disse que não tem "objeção" em analisar a ideia. "Em geral, eu não tenho qualquer problema em olhar para qualquer coisa", afirmou.

"Você pode falar muito, mas você tem que esperar para ver a decisão, e ver o que então poderia acontecer", disse. "Nós teríamos que estar potencialmente envolvidos em qualquer um desses tipos de coisas. Vamos esperar até o momento em que essas palavras se tornem uma ação".

Tudo o que sabemos sobre:
ciclismodopingWada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.