Wallace é outra vez destaque em vitória apertada

Oposto marca 24 pontos contra o Canadá, mas o 3 a 2 permite empate com a Polônia na ponta do grupo da Liga Mundial

AMANDA ROMANELLI, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2012 | 03h03

A seleção masculina estreou na última semana da Liga Mundial, disputada em Tampere (Finlândia), com vitória. Mas, novamente instável, o time de Bernardinho perdeu um ponto precioso na briga pela fase final do torneio, na Bulgária. O Brasil conseguiu derrotar o Canadá por apertados 3 sets a 2 (22/25, 25/19, 25/14, 19/25 e 15/9).

Com o resultado, a seleção garantiu apenas dois pontos, e deixou a Polônia (que derrotou os donos da casa por 3 a 0) empatar na liderança: as duas seleções, agora, têm 23 pontos. Somente o líder do grupo passa à decisão. Hoje, na segunda rodada, o Brasil enfrenta a Finlândia, às 12h30, e a Polônia, o Canadá.

O que não mudou em relação aos últimos jogos foi o importante papel de Wallace. O oposto, em seu primeiro ano como titular na seleção principal, continua como o maior pontuador do Brasil na Liga Mundial e também lidera a estatística geral do torneio. Ontem, teve 24 acertos ao atuar nos cinco sets, e chegou aos 180 pontos no total.

Ao fim da terceira semana da Liga Mundial, disputada em São Bernardo do Campo, Bernardinho elogiou as atuações do jogador de 24 anos. E disse que Wallace, um novato dentro de um grupo trabalhado no ciclo olímpico, está se destacando na briga por um lugar em Londres.

"Você não dá espaço a um jogador. Ele conquista", disse Bernardinho. "O Wallace tem tido a coragem de decidir, e isso é importante. O que eu cobro é que um oposto precisa defender um pouco mais."

O tímido Wallace, que ainda estranha o assédio da imprensa, garante que mantém os pés no chão. "Foi muito legal da parte dele (os elogios de Bernardinho), mas quero e preciso continuar fazendo um bom trabalho para me manter no grupo. Não é fácil."

Sobre o jogo de ontem, independentemente de sua boa atuação, Wallace afirmou que a seleção entrou "morna demais" na partida. "Fomos abaixo novamente. O importante é a vitória, e só depende de nós. Temos de ganhar os outros dois jogos."

Na disputa por posição, quem perde é Theo, escolhido o melhor atacante da Liga Mundial de 2011, mas que nem foi inscrito para a etapa na Finlândia. "Ele é fundamental para o time, mas atualmente está perdendo a briga. Agora, tem de lutar. Ou luta, ou desiste, porque tem o Leandro também. Estamos bem servidos, graças a Deus. Ali (na posição) não vai faltar."

Bernardinho optou por Leandro Vissotto, que passou por uma cirurgia cardíaca e, pela primeira vez desde abril, teve condições de jogo. Ele entrou só no primeiro set e marcou três pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.