Washington vence duelo dos 9

O São Paulo acaba com a invencibilidade do Palmeiras e pula para o 2.º lugar; Keirrison passa em branco

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

29 de março de 2009 | 00h00

O São Paulo colocou um ponto final na invencibilidade palmeirense no Campeonato Paulista. Com méritos, venceu o rival por 1 a 0, no Morumbi. No duelo dos artilheiros, Washington foi superior a Keirrison, ao balançar a rede logo no início do jogo e colocou a equipe na segunda colocação do Estadual.O Morumbi é um dos talismãs do time contra o Palmeiras. Absoluto em seu estádio, não perde desde 2002 - partida que ficou marcada pelo golaço de Alex, em que deu um chapéu em Rogério Ceni. Em sete anos, foram dez vitórias e quatro empates. Com o triunfo de ontem, ainda proibiu que o rival lhe tirasse a Taça dos Invictos, entregue pela Federação Paulista de Futebol. Caso o Palmeiras fosse feliz, igualaria os 20 jogos sem derrota do rival e teria a chance de ganhar o troféu se empatasse com o Oeste, na terça-feira, em Itápolis. Agora, apenas o Corinthians pode tentar ficar com a taça, se chegar à final sem tropeço nenhum.A chuva, o medo da violência que assolou os últimos clássicos, o alto preço dos ingressos, tudo foi ingrediente para esvaziar o jogo. Menos de 20 mil torcedores compareceram ao Morumbi. Pouca gente.O Palmeiras buscava a vitória para garantir a classificação na liderança. A ideia de Vanderlei Luxemburgo era utilizar os dois jogos restantes da fase inicial para arrumar o time para o confronto do dia 8, contra o Sport, pela Taça Libertadores. Em Itápolis, terá mais uma chance para sacramentar a primeira posição.Ao contrário do rival, que ainda não pontuou na competição continental, o São Paulo é o líder de sua chave e está perto da classificação para as oitavas-de-final. A vaga na semifinal do Estadual, no entanto, não estava garantida. Mesmo com a vitória de ontem, ainda não a conquistou, mas chegou bem perto dela, com 36 pontos.O torcedor são-paulino pode agradecer ao atacante Washington por mais três pontos. A chuva era forte quando Hernanes levantou a bola na área. O 9 tricolor aproveitou um espaço entre Maurício Ramos e Sandro Silva para, de cabeça, fazer 1 a 0, com apenas dois minutos de jogo. Chegou aos 11 gols no torneio, um a menos do que o artilheiro Keirrison.O Palmeiras demorou para chegar ao gol de Rogério. Aos 15, Jumar arriscou fraquinho de longe, sem perigo. Keirrison, na única vez que teve espaço, não soube o que fazer com a bola - praticamente recuou para o capitão são-paulino. A boa chance foi com Pierre. O volante roubou a bola de André Dias e obrigou Rogério a fazer difícil defesa.O clássico foi de muito estudo entre os times. De paciência. Keirrison já havia avisado que iria jogar nos erros do adversário. O problema é que o São Paulo, atrás, quase não tropeçou.Foram poucas as chances criadas, dos dois lados. O São Paulo apostava nas bolas para Washington. Sem Diego Souza, sobrou para Cleiton Xavier tentar armas as jogadas palmeirenses - Marquinhos, o substituto de Diego, foi mal na partida.Os visitantes melhoraram no jogo e colocaram pressão após as entradas de Evandro e Lenny. Nos últimos 15 minutos o perfil do jogo mudou. O São Paulo se fechou e torceu para que o tempo passasse rápido. Bem postada, a defesa aguentou os ataques do rival. Luxemburgo, em pé ao lado do campo, ia à loucura com os erros de seu time. Gritava, xingava, ficava rouco. E não acreditou quando Cleiton Xavier, de longe, acertou a trave. No rebote, Keirrison chutou em cima de Rogério.Muricy, tão nervoso quanto Luxemburgo, só se acalmou quando o jogo acabou. Na quinta-feira, o São Paulo pode confirmar a classificação contra o Guaratinguetá, em casa. O Palmeiras espera garantir definitivamente a liderança terça-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.