Wayne Rooney escapa de indenização milionária

Após julgamento, jogador terá que pagar 240 mil reais a empresa que gerenciava sua carreira até 2008

AE-AP, Agência Estado

15 de julho de 2010 | 14h27

Wayne Rooney escapou nesta quinta-feira de pagar uma indenização de 4,3 milhões de libras (cerca de R$ 11,7 milhões) para a Proactive, que gerenciava a carreira do atleta até 2008. Neste ano, o atacante da seleção inglesa se desvinculou da empresa juntamente com o seu agente Paul Stretford, que passou a cuidar, sem o intermédio da companhia, da atividade profissional do jogador do Manchester United.

A Proactive alegava que Rooney deixou de pagar as comissões. O juiz Brendan Hegarty, responsável pelo julgamento adiado até o final da Copa do Mundo da África do Sul, afirmou em veredicto que a firma inglesa tinha apenas direito a um valor de restituição, estipulado em 90 mil libras (aproximadamente 240 mil reais).

"Coleen e eu sempre pagamos todas as comissões que nós devíamos. Mas essa quantia foi uma piada (4,3 milhões de libras) e nós sentimos que era apenas uma tentativa de nos explorar. Estamos felizes em pagar o valor indicado", comentou o atacante.

Durante o processo, detalhes do salário de Rooney foram divulgados para a mídia, fato que deixou chateado o jogador. "Fiquei chocado que uma companhia que representa alguns dos mais importantes artistas britânicos tenha escolhido este caminho, o que significou que questões financeiras e comerciais foram feitas em público", desabafou o atleta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.