Weissmuller, Biondi, Popov, Spitz: outros gênios da prova

Primeiro recordista foi o húngaro Zoltán Halmay: 1min05s8, em 1905

Valéria Zukeran, ROMA, O Estadao de S.Paulo

31 de julho de 2009 | 00h00

O desempenho de César Cielo na piscina de Roma foi quase 20 segundos mais rápido que o do húngaro Zoltán Halmay, primeiro recordista mundial dos 100 metros, com a marca de 1min05s8, obtida em Viena, Áustria, em dezembro de 1905. O primeiro nadador a baixar o tempo de um minuto foi o romeno naturalizado norte-americano Johnny Weissmuller, em 19 de julho de 1922, durante uma competição na Califórnia, com 58s6. Weissmuller ainda conquistaria o bicampeonato olímpico (1924 e 1928) antes de se tornar o maior Tarzan dos estúdios de Hollywood.O domínio dos norte-americanos na prova é histórico. Alguns australianos e pouquíssimos estrangeiros conseguiram afetar este domínio. Um desses atletas foi o brasileiro Manuel dos Santos, que completou as duas piscinas em 53s6, na Guanabara, no Rio, em 1961.Mas o grande nome da prova foi surgir em 1970. O norte-americano Mark Spitz fez o tempo de 51s94 e seguiu soberano até a Olimpíada de Munique, na Alemanha, em 1972, quando baixou o tempo para 51s22. Spitz ganhou outros seis ouros, transformando-se no maior vencedor em uma mesma edição olímpica, feito superado apenas no ano passado, na China, pelo compatriota Michael Phelps, vencedor de 8 provas.Outro fenômeno das piscinas foi o também norte-americano Jim Montgomery, autor de quatro quebras de recorde na prova. Além de ser mais rápido que Sptiz, Montgomery também foi o primeiro homem a nadar os 100 metros em menos de 50 segundos. Na Olimpíada de Montreal, em 1976, o norte-americano fez o tempo de 49s9.Na década de 80, o nome dos 100 metros também veio dos Estados Unidos. Matt Biondi baixou quatro vezes seguidas o tempo (49s24, 48s95, 48s74 e 48s42), mas acabou decepcionando, ao não conseguir melhorar o tempo durante os Jogos Olímpicos de Seul, em 1988.A melhor marca de Biondi só foi ser superada seis anos mais tarde, em 1994, pelo extraordinário russo Alexander Popov. O "Czar" fez a marca de 48s21, em um meeting de Monte Carlo. O velocista ganhou quatro medalhas de ouro e cinco de prata em três olimpíadas.Nos Jogos Olímpicos de Sydney/2000, na Austrália, o tempo foi quebrado duas vezes. O australiano Michael Klim fez 48s18, enquanto o holandês Pieter van den Hoogenband diminuiu para 47s84. O recorde só voltou a ser batido ano passado. Três vezes com o francês Alain Bernard e duas com o australiano Eamon Sullivan. Mas no Foro Itálico de Roma a honra ficou para o brasileiro César Cielo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.