William desdenha pressão colorada

Capitão corintiano diz que gritos da torcida do Inter não ?farão diferença?

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

26 de junho de 2009 | 00h00

Acostumado a encarar o Internacional - foram três anos defendendo o Grêmio -, o capitão William garantiu, ontem, que o Beira-Rio não assusta o Corinthians. "Pressão não assusta nem intimida", afirma o zagueiro, bicampeão gaúcho em 2006 e 2007. Os colorados prometem fazer muito barulho durante a decisão da Copa do Brasil, na quarta-feira. "Não lembro de ter encontrado nada tão exótico no Beira-Rio. Mas o estádio por si só não vai vencer o Corinthians. Nosso maior desafio é o time do Inter", desdenha.A receita para erguer a taça que escapou em 2008 - derrota para o Sport na Ilha do Retiro com clima parecido com o de agora - está na ponta da língua. "Se fizermos um bom jogo, nada no estádio vai nos atrapalhar", diz. "Com mais um gol (foi 2 a 0 no Pacaembu), a torcida esfria, acaba esmorecendo."O capitão não admite ver o time com discurso de já ganhou. E lembra da decisão da Copa dos Campeões de 2005. "O Milan fez 3 a 0 no Liverpool e achou que tinha ganhado. Levou o empate e perdeu nos pênaltis."O Corinthians joga com os gaúchos podendo até perder por um gol de diferença para erguer a taça, ou por dois gols, desde que faça um. "Nossa equipe é bem mais experiente e tem tudo para fazer um grande jogo", observa. "Mas ninguém ganho título de véspera."William está servindo de porta-voz do grupo. Suas palavras servirão para passar tranquilidade aos mais jovens.CLÁSSICO NO INTERIORDiretorias de Corinthians e Palmeiras chegaram a um acordo para levar os dois clássicos do Brasileiro para Presidente Prudente. O primeiro é dia 26 de julho. Falta a CBF oficializar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.