Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Willian José faz três e leva vermelho

Atacante garante vitória ao São Paulo diante do Paulista com uma trinca de gols e sai expulso no último minuto; time, enfim, recebe aplausos da torcida

BRUNO DEIRO, O Estado de S.Paulo

17 de fevereiro de 2012 | 03h02

Nem mesmo o mais otimista dos são-paulinos poderia achar que Willian José seria tão convincente como substituto de Luis Fabiano. O atacante, ontem, marcou três vezes na vitória por 3 a 1 sobre o Paulista e chegou a sete gols em cinco partidas. A noite de gala, porém, acabou com uma expulsão infantil, no fim do jogo, com o placar já consolidado.

O oportunismo de Willian José para fazer gols lembrou o melhor de Luis Fabiano. E o descontrole do garoto para entrar de sola em Júnior Alves, com o lance já parado, lembrou os piores momentos do camisa 9, que também amargou expulsões desnecessárias no início da carreira.

Prejudicado pelo horário, o São Paulo teve seu pior público neste Estadual (5.658 pagantes). O estádio às moscas era reflexo das más atuações recentes diante da torcida e da derrota para o Corinthians no clássico. Em campo, porém, o time pareceu não se importar e foi vibrante. Facilitada por um gol de pênalti no início do jogo, a boa vitória retomou a confiança.

Sem opções para a direita, Emerson Leão surpreendeu e escalou o volante Rodrigo Caio, de 18 anos, na vaga de Piris. Apesar de cometer pênalti por pura afobação, o garoto deu conta do recado e até se arriscou ao ataque. Leão, porém, já adiantou que não pretende usá-lo outras vezes improvisado na posição.

O meio-campo, porém, foi o principal destaque, especialmente na primeira etapa. Denilson, Jadson e Cícero fizeram suas melhores partidas no ano até agora e deram movimentação ao ataque, sem deixar de prover segurança à zaga. Casemiro, mais uma vez, teve atuação regular e já se consolida como titular.

Expulsão. O São Paulo amassou o Paulista na etapa inicial e poderia ter goleado. Aos 12, após pênalti em toque de mão do zagueiro Júnior Alves, Willian José bateu forte no canto direito para abrir o placar. Cinco minutos depois, em bela jogada coletiva, Cícero lançou Denilson, que ajeitou de cabeça para Willian José balançar a rede novamente. Como havia muito não acontecia, o time desceu para o vestiário sob merecidos aplausos.

Na segunda etapa, o Paulista reagiu e começou melhor. Desperdiçou um pênalti logo a dois minutos que poderia ter mudado a história do jogo. Mas mesmo com a expulsão de Paulo Miranda, que levou o segundo amarelo aos 20, quem marcou foi o Tricolor: Lucas fez ótima jogada e cruzou para Willian José fazer o terceiro. A dez minutos do fim, Reinaldo acertou lindo chute para descontar, mas já era tarde.

No apagar das luzes, a expulsão de Willian José só serviu para deixar a torcida na bronca com o juiz, injustamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.