Willians: ataque mais ágil

Recuperado de lesão, atacante volta ao time hoje para dar mais velocidade no contragolpe

Daniel Akstein Batista, SANTIAGO, O Estadao de S.Paulo

29 de abril de 2009 | 00h00

Os braços cruzados na hora da entrevista já entregam a sua timidez. Fora de campo, o sergipano Willians tem um "jeito mineiro", quietinho de ser. Dentro das quatro linhas, o atacante de 20 anos transforma sua calma e tranquilidade em rapidez e velocidade. Depois de quatro jogos fora por causa de uma lesão no púbis, ele está de volta para ajudar o Palmeiras a avançar às oitavas de final da Libertadores, hoje, contra o Colo Colo, no Estádio Monumental, palco do duelo em Santiago, no Chile.Willians foi contratado pela Traffic e chegou sem a mesma badalação de Marquinhos, companheiro de Vitória. Mas, enquanto o amigo teve de passar por cirurgia no começo da temporada, ganhou espaço com Vanderlei Luxemburgo. Marcou um gol até agora, e ajuda os colegas o tempo todo. Por mais que não seja sua função, Willians diz que o Palmeiras fica mais fortalecido defensivamente quando está em campo. "Tenho a facilidade de ajudar na marcação", diz, pedindo melhora justamente nesse quesito para que o time possa hoje conquistar a classificação. "Temos de marcar forte para sair nos contra-ataques. Nosso time é muito veloz e rápido."PARCEIRO IDEALWillians sabe de sua importância para a equipe e, principalmente, para Keirrison. Sem ele em campo, o camisa 9 não rende tanto. "Os números não mentem", afirma Willians.Quando ficou os primeiros quatro jogos sem atuar, por causa da lesão no púbis, Willians não pôde comemorar nenhum gol do companheiro. Depois que voltou, nos 2 a 0 sobre o Sport, no Recife, viu Keirrison balançar as redes. Mais tarde, novas dores tiraram o camisa 8 de mais quatro partidas. E o artilheiro da equipe marcou apenas dois gols. "O Keirrison finaliza muito bem e deve marcar amanhã", torce Willians. "Tenho amizade grande com ele e isso ajuda muito. Tomara que essa dupla dê certo de novo", espera. "Eu e o Keirrison vínhamos fazendo bons jogos, mas, infelizmente, fiquei fora de momentos decisivos."O camisa 9 palmeirense já falou que sonha em marcar o gol que pode levar o time à próxima fase, mas prefere não ter essa responsabilidade. "O gol vai sair naturalmente, independentemente de quem for marcar", declara Keirrison. "Temos de jogar com inteligência." A sabedoria, pregam os jogadores, é ter a calma para esperar o Colo Colo sair para o jogo e, aí sim, apostar nos contragolpes, sempre em velocidade. "Se eles vierem para a cima, podem facilitar para a gente", afirma Willians, que garante estar livre das dores no púbis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.