Daniel Bockwoldt/EFE
Daniel Bockwoldt/EFE

Wladimir Klitschko nocauteia e mantém cinturões no boxe

Em Hamburgo, ucraniano derruba o então invicto Kubrat Pulev, da Bulgária, no quinto assalto e continua soberano nos pesos pesados

Estadão Conteúdo

15 de novembro de 2014 | 21h59

Sete meses depois de sua última luta, o veterano Wladimir Klitschko voltou aos ringues neste sábado com mais uma vitória. Em Hamburgo, o ucraniano de 38 anos venceu por nocaute o então invicto Kubrat Pulev, da Bulgária, derrubando o rival no quinto assalto. Assim, manteve seus quatro cinturões entre os pesos pesados.

A luta deveria ter acontecido em 6 de setembro, mas foi adiada depois que Wladimir se feriu durante um treino realizado com o auxílio de um sparring. O pugilista ucraniano sofreu um rasgo no bíceps e teve que adiar o combate contra Pulev, de 33 anos, tinha um cartel de 11 nocautes e 20 vitórias.

O búlgaro foi ao chão depois de levar um direto de esquerda na mandíbula e depois não levantou mais. Pulev já havia sofrido outras quedas, confirmando a prevista superioridade do ucraniano. "Wladimir é realmente um bom adversário, mas ele teve sorte. Eu quero uma revanche. Eu vou ganhar da próxima vez", afirmou Pulev ao fim do confronto. O vencedor, porém, reclamou da antidesportividade do rival.

Aos 38 anos, Klitschko é campeão mundial desde 2006. Em sua carreira, soma 63 vitórias, com 52 nocautes, e apenas três derrotas - a última vez que perdeu uma luta foi em abril de 2004. Ele detém os cinturões da Federação Internacional de Boxe (FIB), Organização Mundial de Boxe (OMB), Organização Internacional de Boxe (OIB) e Associação Mundial de Boxe (AMB).

Tudo o que sabemos sobre:
boxeWladimir Klitschko

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.