Dutch National Archives
Dutch National Archives

Wolfgang Uhlmann, melhor jogador de xadrez da Alemanha Oriental, morre aos 85

Enxadrista alemão ganhou seu título de grande mestre da Federação Mundial de Xadrez em 1959

Dylan Loeb McClain, The New York Times

03 de setembro de 2020 | 07h54

Wolfgang Uhlmann, um grande mestre do xadrez que foi considerado o melhor jogador da história da Alemanha Oriental e um dos melhores jogadores alemães de todos os tempos, morreu em 24 de agosto em Dresden, onde viveu toda a sua vida. Ele tinha 85 anos. Sua mulher, Christine, que confirmou a morte, disse que ele esteve doente a maior parte de sua vida devido a complicações decorrentes de um episódio de tuberculose na juventude. Ele morreu após dar entrada no hospital por causa de uma queda.

Uhlmann ganhou seu título de grande mestre da Federação Mundial de Xadrez, o órgão regulador do jogo, em 1959. Na época, havia apenas cerca de 100 grandes mestres no mundo, mas mesmo naquele grupo de elite ele era uma potência. Por muitos anos, ele esteve consistentemente entre os 30 melhores jogadores do mundo, chegando ao 19º lugar em janeiro de 1971 e novamente em janeiro de 1978 no ranking oficial.

Nas décadas de 1960 e 1970, ele ganhou ou dividiu o primeiro lugar em mais de dez grandes torneios internacionais. Sua vitória em Raach, na Áustria, em 1969, o qualificou para o Torneio Interzonal em Palma de Mallorca, Espanha, que foi o próximo passo no ciclo de três anos para escolher um desafiante para o campeonato mundial. Ele terminou em sexto, tornando-se um dos oito jogadores a se classificar para as partidas dos candidatos em 1971, a última etapa antes de uma disputa pelo título.

Ele perdeu por pouco sua partida das quartas de final para Bent Larsen, da Dinamarca; 5,5 a 3,5. Foi a única vez que Uhlmann conseguiu chegar tão longe no ciclo do campeonato mundial.(Larsen perdeu sua partida subsequente para o americano Bobby Fischer, por 6 a 0, e Fischer conquistou o título em 1972.)

Uhlmann venceu o campeonato da Alemanha Oriental 11 vezes, um recorde. Seu primeiro título veio em 1954, o último em 1986.

Ele representou a Alemanha Oriental 11 vezes na bienal Olimpíada de Xadrez, o principal evento da seleção nacional de xadrez, geralmente como o melhor jogador de seu time. Na Olimpíada de 1964 em Tel Aviv, Israel, ele marcou 15 pontos de 18 possíveis, mesmo tendo jogado contra os melhores jogadores de outros países. O desempenho rendeu-lhe uma medalha de ouro individual.

Wolfgang Uhlmann nasceu em 29 de março de 1935, o segundo filho de um padeiro e sua esposa. Ele tinha 6 anos e vivia em Dresden, no meio da Segunda Guerra Mundial, quando seu pai, Alfred, o ensinou a jogar xadrez. A família estava em Dresden durante o bombardeio em fevereiro de 1945, mas escapou de ferimentos graves.

Quando tinha 16 anos, Wolfgang contraiu tuberculose e ficou confinado em um sanatório por meses. Ele estudou xadrez incansavelmente e quando saiu, com a Alemanha agora dividida entre o Leste comunista e o Oeste democrático, começou a ascender na escala do xadrez da Alemanha Oriental, ganhando o campeonato juvenil de seu país. Três anos depois, ele ganhou seu primeiro campeonato geral da Alemanha Oriental.

Ele nunca terminou a escola, em vez disso, fez um curso técnico para trabalhar com a impressão de livros. Mas depois que começou a ganhar campeonatos, tornou-se um profissional de xadrez, com o apoio financeiro do governo da Alemanha Oriental. Tal arranjo era comum na União Soviética, mas incomum na Alemanha Oriental. Muitos anos depois, ele diria: “Fui privilegiado”.

Depois que a Alemanha foi novamente unificada, Uhlmann continuou a ganhar a vida como profissional de xadrez, em parte escrevendo livros e fazendo vídeos instrucionais.

Uhlmann era em grande parte autodidata como jogador, então seu repertório, principalmente quando era o segundo a jogar, era tacanho, quase sempre limitado à Defesa Francesa e à Defesa Índia do Rei, duas aberturas que são populares, mas arriscadas porque geralmente dependem de contra-ataques bem-sucedidos . Escreveu um livro sobre a Defesa Francesa, “Winning With the French”, publicado pela primeira vez em alemão em 1991 e, posteriormente, traduzido para o inglês, que ainda é considerado uma das melhores referências sobre como fazer a abertura.

Ao longo de sua carreira, enfrentou sete jogadores que foram ou viriam a ser campeões mundiais, conquistando vitórias contra Fischer, Vasily Smyslov (que foi campeão mundial de 1957 a 1958) e, em 1962, Mikhail M. Botvinnik, então campeão.

A vitória de Uhlmann sobre Fischer veio em seu primeiro jogo em 1960, quando Fischer tinha apenas 17 anos, mas já era considerado um dos cinco melhores jogadores do mundo. No demais confrontos, Fischer venceu três vezes e quatro partidas terminaram empatadas.

A única vez além de 1969 em que Uhlmann jogou em um interzonal - em 1962 em Estocolmo - ele terminou em empate no nono lugar. Coincidentemente, Fischer venceu os dois torneios.

Uhlmann e sua esposa, que muitas vezes era sua companheira de viagem em torneios, se casaram em 1960. Além dela, ele deixou seus filhos, Ralf e Antje, e dois netos.

Em entrevista publicada este ano, logo após seu 85º aniversário, Uhlmann estimou ter disputado cerca de 15 mil partidas em competições importantes. “O xadrez é a minha vida”, disse ele. E continuou sendo sua vida até os últimos anos.

Em 9 de abril de 2016, ele disputou uma partida pelo time de Dresden na primeira divisão da Bundesliga, considerada a liga de xadrez mais difícil da Europa. Aos 81 anos, ele foi o jogador mais velho de todos os tempos a competir na primeira divisão da liga. Ele perdeu uma batalha difícil em 58 movimentos para Alexander Naumann, um grande mestre alemão como ele. / TRADUÇÃO DE ROMINA CÁCIA

Tudo o que sabemos sobre:
Wolfgang Uhlmannxadrez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.