Xangai pode ver primeiro duelo interno

A sessão que definiu o grid do GP da China, na madrugada de hoje, foi a primeira oportunidade para os companheiros de equipe na Red Bull, Sebastian Vettel e Mark Webber, e na Mercedes, Lewis Hamilton e Nico Rosberg, poderem digladiarem entre si.

LIVIO ORICCHIO , ENVIADO ESPECIAL / XANGAI, O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2013 | 02h02

Mas será principalmente amanhã, ao longo das 56 horas da corrida no Autódromo Internacional de Xangai que a nova determinação poderá ser melhor percebida, se de fato for verdade.

A medida é já um desdobramento do profundo desgaste experimentado pelos dois times no GP da Malásia, quando o vencedor, Vettel, e o terceiro colocado, Hamilton, disseram no pódio que não mereciam estar lá. Christian Horner, diretor da Red Bull, contou ontem ter se reunido com o proprietário da empresa, Dietrich Mateschitz. "Tivemos uma longa conversa. Ele é um purista, fã de esporte."

Como Brawn, Horner explicou por que interveio em Sepang ao ordenar Vettel não tentar a ultrapassagem em Webber. "Os dois estavam chegando ao limite de seus pneus. A disputa comprometeria a primeira e segunda colocação, para a qual entre 500 e 600 pessoas trabalharam duro." Por isso para Horner, seus pilotos podem buscar o melhor para si, mas também para a Red Bull.

Lauda disse que conversaria com Ross Brawn para não mais interferir na disputa entre Hamilton e Rosberg. Ontem, em Xangai, Brawn confirmou, mas explicou que em situações como a da Malásia é importante interferir: "Ambos estavam ficando críticos de combustível. Se duelassem perderíamos o terceiro e o quarto lugar que tínhamos". Resta saber como serão as disputas na corrida de amanhã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.