KABC-TV via AP
KABC-TV via AP

Xerife descarta possibilidade de Tiger Woods ser incriminado por acidente

Polícia dos EUA alega não ter evidências que apontem imprudência no volante do golfista

Redação, Estadão Conteúdo

24 de fevereiro de 2021 | 22h00

Tiger Woods não vai responder a acusação criminal por causa do grave acidente que sofreu na terça-feira, perto de Los Angeles, nos Estados Unidos. A informação é do xerife Alex Villanueva, coordenador das investigações. Segundo o policial não há evidências que apontem imprudência no volante por parte do maior golfista de todos os tempos.

"Isso é puramente um acidente. Não contemplamos nenhuma acusação neste acidente. Isso continua sendo um acidente. Um acidente não é um crime", afirmou o xerife, em entrevista coletiva. Os primeiros exames apontam que Tiger Woods não ingeriu álcool e nem drogas antes do acidente. A "caixa preta" que pode revelar a velocidade do automóvel no momento do acidente ainda não foi encontrada.

Apesar de não ter cometido um crime, Tiger Woods, que sofreu cirurgia nas pernas por causa das inúmeras lesões, poderá ser multado, caso tenha usado o celular ou se estava em alta velocidade. O local do acidente tem como permitido 70 quilômetros por hora.

Segundo as autoridades, o carro de Tiger Woods bateu em um canteiro central, atravessou duas pistas na direção contrária, capotou várias vezes e acabou de lado em uma ribanceira. A superestrela do golfe teve que ser retirada de dentro do carro pelo pára-brisa, mas estava consciente e chegou a falar com os bombeiros. Uma ambulância o levou até o hospital, onde foi submetido a uma cirurgia.

Os airbags dispararam e o interior do carro permaneceu basicamente intacto, o que, segundo o policial Villanueva, "salvou a sua vida". A frente do veículo ficou destruída. A estrada de duas pistas utilizada por Woods tem curvas através dos subúrbios de luxo de Los Angeles e o lado norte no qual o golfista estava dirigindo desce abruptamente o suficiente para que os sinais avisem os caminhões para usar marchas mais baixas. O limite de velocidade é de 70 quilômetros por hora.

Woods esteve em Los Angeles no fim de semana como anfitrião do torneio no Riviera Country Club, onde entregou o troféu ao vencedor no domingo. Ele deveria passar a segunda e a terça-feira filmando com a Discovery GOLFTV, com quem tem contrato.

Tiger Woods vinha se recuperando de uma cirurgia nas costas realizada em 23 de dezembro. Foi sua quinta cirurgia no local e a primeira desde que sua coluna vertebral foi fundida em abril de 2017, o que lhe permitiu encenar um retorno notável em 2019. Ele é destaque do golfe desde 1997, quando tinha 21 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
Tiger Woodsgolfe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.