Yamaguchi diz que não acreditava em medalha olímpica

A derrota nesta sexta-feira na semifinal dos meio-pesados (até 81kg) para o russo Egor Mekhontcev foi o de menos. O pugilista brasileiro Yamaguchi se despediu da Olimpíada de Londres com sorriso no rosto. Ele conquistou a medalha de bronze e ajudou o país a quebrar um jejum de 44 anos sem medalhas no boxe, desde o bronze de Servílio de Oliveira nos Jogos de 1968.

AE, Agência Estado

10 de agosto de 2012 | 19h02

"Sair com esse bronze nos Jogos Olímpicos, ainda mais nesta categoria, que estou sofrendo para manter o peso, é muito bom. A sensação é de ouro pela vitória sobre o cubano, que é campeão mundial", afirmou Yamaguchi ao SporTV, em referência ao triunfo sobre o favorito cubano Julio la Cruz Peraza nas quartas de final.

O próprio Yamaguchi se disse surpreso com seu desempenho em Londres. Antes do duelo com Peraza, ele acumulou vitórias sobre o indiano Sumit Sangwan e o chinês Fanlong Meng. "Quando saiu o sorteio eu falei para vocês que a chave era muito difícil, pensei que nem com o bronze eu iria sair daqui. Mas consegui com muita luta e força de vontade", explicou.

O pugilista sabe que sua vida certamente mudará após a medalha olímpica, mas garante que ainda não tem dimensão do feito que alcançou. Até esta sexta-feira, seu único foco era a medalha de ouro. "Estou até meio longe da internet para não me empolgar legal."

Ainda não será nesta madrugada londrina que Yamaguchi terá contato com a repercussão de suas vitórias. Ele vai ajudar na preparação do irmão Esquiva, que decide neste sábado o ouro da categoria até 75kg com o japonês Ryota Morata. "Estou torcendo muito para ele. Em nome de Jesus Cristo o Esquiva vai colocar essa medalha de ouro no peito do meu pai."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.