Ricardo Bufolin/CBG
Ricardo Bufolin/CBG

Zanetti fatura duas medalhas de ouro no Brasileiro de Especialistas

Ginasta fica em primeiro nas argolas e no solo e leva bronze no salto

Estadão Conteúdo

19 Agosto 2018 | 22h00

Arthur Zanetti cumpriu sua meta no Campeonato Brasileiro de Especialistas de Ginástica Artística, neste domingo, em Santos. O campeão olímpico nos Jogos de Londres-2012 nas argolas obteve três medalhas na competição nacional, sendo duas de ouro e uma de bronze. Os títulos foram obtidos nas argolas e no solo, enquanto o terceiro lugar aconteceu no salto.

Seu bom rendimento ajudou a equipe Serc/Santa Maria, de São Caetano do Sul, a terminar a competição no terceiro lugar geral. O maior destaque individual de Zanetti foi nas argolas, onde obteve a medalha de prata nos Jogos do Rio-2016. Ele anotou 15,350, sua melhor nota na temporada até agora. No solo, foi 14,550 e, no salto, foi 13,663.

"Nas argolas consegui ajeitar os balanços, que era o que estava pegando na série. Hoje, na final, a série foi melhor que na classificatória. Foi uma apresentação alinhada e cravei a saída, o que dá uma cara diferente para a série, e ainda ganha um acréscimo de 0,10 na nota final", analisou o ginasta. "Foi a minha melhor nota esse ano. Fiquei animado porque vi o Europeu e sei que a série está de igual para igual (com os adversários do exterior)."

Não foi à toa que Zanetti competiu em três aparelhos neste domingo. Seu objetivo é evoluir no solo e no salto para melhorar seu rendimento na seleção brasileira na disputa por equipe. Por isso, a competição deste domingo serviu como preparação para o Mundial, a ser disputado entre 26 de outubro e 3 de novembro.

"O objetivo é ajudar a seleção, porque a gente quer de novo a classificação por equipe em 2020. Comigo fazendo solo e salto, a equipe acaba se tornando um pouco mais forte. O objetivo é tirar atletas de ponta, como o Arthur Nory, que é medalhista olímpico no solo, da zona de conforto, para eles conseguirem notas ainda melhores, porque essa é a responsabilidade deles. Nas argolas, a responsabilidade é minha. E assim o nível técnico da ginástica brasileira vai evoluindo."

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.