Zé Augusto cai e critica jogadores. E acerto com Nelsinho está perto

Técnico sai após 24 dias e afirma que foi derrubado pelos atletas. Contrato com sucessor seria até o fim do ano

Daniel Akstein Batista e Martín Fernandez, O Estadao de S.Paulo

25 Setembro 2007 | 00h00

Durou menos de um mês - exatos 24 dias - a segunda passagem de Zé Augusto como técnico do Corinthians. A derrota para o arqui-rival Palmeiras por 1 a 0, no domingo, derrubou o treinador do cargo. Nelsinho Baptista deve ser anunciado hoje no Parque São Jorge. O ex-treinador da Ponte Preta (foi demitido no domingo) se reuniu ontem com o vice-presidente corintiano, Antoine Gebran, e faltou apenas um detalhe para o acerto: o tempo de contrato. ''''Foi uma sugestão minha ele assinar só até o fim do ano'''', explicou Gebran. ''''Vamos ter eleição no dia 9 (ver abaixo)e não sabemos se o novo presidente vai querer continuar com o Nelsinho no ano que vem'''', disse. ''''Mas ele (Nelsinho) é inteligente e, pela amizade que tem comigo, acho que vai aceitar.'''' O dirigente acredita que o técnico seja apresentado hoje, às 14 horas, no Parque São Jorge. Com uma difícil missão: evitar o rebaixamento do time, atualmente em 17º lugar no Campeonato Brasileiro. Nelsinho já dirigiu a equipe em outras três ocasiões: foi campeão brasileiro em 1990, paulista em 1997 e vice paulista em 1993. Após cinco derrotas e apenas duas vitórias em sete jogos, Zé Augusto caiu atirando. Em entrevista ao Estado, ontem, revelou os problemas internos que o levaram a pedir para deixar o comando do time - sua demissão estava decidida desde a noite de domingo. ''''Tem jogador que acha que tem vaga cativa no time'''', detonou. ''''Alguns jogadores já têm certo tempo de clube e ainda não conseguiram desenvolver um bom futebol. Outros, chegaram agora e não se adaptaram, não fizeram seu nome. Por isso, não têm de ficar questionando nada.'''' O treinador refere-se aos atacantes Wilson e Everton Santos. O primeiro deixou o treino mais cedo, sexta-feira, quando o time estava concentrado em Atibaia. ''''Li no jornal que ele me mandou para aquele lugar. Para mim, nunca falou nada'''', disse o técnico. Já Everton Santos ficou fora até do banco contra o Palmeiras. Contrariado, deixou o Morumbi antes de a partida começar. ''''Os caras se manifestam porque do outro lado está um treinador que veio da base, então eles acham que não tem respaldo'''', declarou Zé Augusto. ''''Mas eles têm que se conscientizar de que não é assim. Eles precisam fazer seu nome antes de cobrar qualquer coisa.'''' A mágoa do treinador mostra que, quando fizeram campanha para a sua efetivação, muitos atletas queriam, na verdade, dar as cartas no time. Por isso, defenderam a permanência de alguém inexperiente. Na reunião que teve com Gebran, ontem à tarde, Zé Augusto deixou claro que gostaria de seguir no time de cima, como auxiliar-técnico. ''''Mas depende da diretoria, do técnico novo.'''' Ele não deve ter seu pedido atendido, pois Nelsinho traria sua comissão técnica. Nela estão o auxiliar Evair, que fez história no Palmeiras como jogador, Mauro e seu filho, o preparador físico Eduardo Baptista. Quando foi convidado para assumir o time, Zé Augusto acertou aumento de salário, que não foi pago. ''''Mas ainda não completou um mês'''', observou. ''''Essa é uma parte boa do clube: salários em dia. Espero receber minha parte também.'''' CURTAS TRAJETÓRIAS Primeira passagem Estréia: 7/4 Corinthians 2 x 0 América-SP Última partida: 18/4 Náutico 2 x 2 Corinthians Jogos: 3 Vitória: 1 Empates: 2 Segunda passagem Reestréia: 29/8 Atlético-MG 5 x 2 Corinthians Última partida: 23/9 Palmeiras 1 x 0 Corinthians Jogos: 7 Vitórias: 2 Derrotas: 5

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.