Zé Roberto pesquisa rivais do vôlei brasileiro

O Campeonato Chinês Feminino de Vôlei termina no dia 20 e a seleção chinesa começa a preparação para a Olimpíada em fevereiro. A quem interessa tais informações? Ao técnico José Roberto Guimarães, da seleção brasileira feminina de vôlei. O treinador passa grande parte do tempo na internet, buscando informações sobre os rivais que encontrará em Atenas, em agosto.Nesta quinta-feira, Zé Roberto viu a Rússia fora das semifinais do Pré-Olímpico Europeu. As russas perderam da Alemanha por 3 sets a 2, no Azerbaijão - passaram Itália, Polônia, Alemanha e Turquia. A Rússia, uma das grandes forças do vôlei feminino, terá a última chance de obter a vaga no Pré-Olímpico Mundial, em Tóquio (JAP), de 8 a 16 de maio. Zé Roberto acredita que a Itália, que joga com a Alemanha nesta sexta, tem boa chance de ficar com a vaga do Europeu. E observa que China e EUA, mais Rússia e Itália, teoricamente, são as forças mundiais do esporte.O treinador brasileiro está de olho nas rivais e mais ainda no time chinês, que está junto desde 2000. "A China tem qualidade técnica e planejamento para ganhar a Olimpíada. Para derrotá-la será preciso ter um time certinho, forte e muito bem treinado."Zé Roberto não levará o Brasil à BCV Cup, em junho. O time se reúne após a Superliga, que termina até 1º de maio. O técnico não quer disputar o torneio sem preparação. Também está preocupado em garantir qualidade nos treinos durante o Grand Prix, de 7 de julho a 1º de agosto. "Serão três semanas na Ásia e uma na Itália. Temos de jogar e treinar bem porque nosso foco é a Olimpíada." O Brasil estréia em Atenas no dia 14 de agosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.