Zé Roberto quer manter BCN em alerta

O desafio do técnico José Roberto Guimarães, do BCN/Osasco, é impedir que o grupo desvie o foco do objetivo fixado no início da temporada, há cinco meses: a conquista do inédito título de campeão brasileiro. A meta ficou mais próxima depois da brilhante vitória por 3 sets a 1 (25/19, 25/14, 24/26 e 25/14), com um jogo quase perfeito, sobre o MRV/Minas, na primeira partida da série melhor-de-cinco da final da Superliga Feminina, sábado, no Ginásio Juscelino Kubitschek, em Belo Horizonte (MG). O BCN, de Fernanda Venturini e Virna, chegou à 18.ª vitória em 20 jogos. Já o MRV, de Fofão, Érica e Elisângela, sofreu a terceira derrota em 21 partidas. Zé Roberto não quer que o BCN perca a concentração, responsável pela superioridade da equipe, sábado. "Conseguimos uma boa vitória em Belo Horizonte porque mantivemos um nível excepcional de atenção. Tivemos um índice alto de aproveitamento na recepção, por exemplo, com a Arlene chegando aos 100% de acerto", analisou o técnico. A atacante Virna foi o destaque do jogo, com 24 pontos. A meio-de-rede Valeskinha fez 16, 3 no bloqueio. "É importante não querer decidir a qualquer custo."Folga, nem pensar. As meninas voltam a treinar hoje para o segundo jogo, sábado, às 18 horas, no Ginásio Professor José Liberatti, em Osasco. A terceira partida será no dia 24, às 20h30, no Mineirinho, em Belo Horizonte. O técnico Antônio Rizola, do MRV, amenizou a atuação ruim de algumas de suas jogadoras, como a norte-americana Tom Logan, dizendo que a atleta sofreu uma virose. "O que não é normal é nossa equipe errar tanto." Rizola disse que o "ponto forte do MRV é justamente o espírito de grupo, necessário para sair da situação em que está hoje".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.