Timothy A Clary/ AFP
Timothy A Clary/ AFP

Zé Roberto rasga elogios a Mari Paraíba, Fê Garay e Rosamaria

'Não haveria 5º set sem Mari e Rosa não tivessem entrado bem'

PAULO FAVERO, Enviado Especial a Toronto, Estadão Conteúdo

23 de julho de 2015 | 23h28

A oposto Rosamaria tem milhares de fãs e costuma chamar a atenção pela beleza. Nesta quinta-feira, ela provou não ser apenas um rostinho bonito no vôlei e ajudou o Brasil a virar uma partida complicada contra Porto Rico e chegar à final nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. "É por isso que quero ser reconhecida, não só pela beleza", afirmou a talentosa jogadora, que marcou 17 pontos na vitória por 3 sets a 2.

Ela não começou o confronto como titular, mas ganhou a posição no segundo set e ajudou o Brasil a sair de uma situação delicada. "Eu entrei preparada e gosto muito da bola rápida da (levantadora) Macris. Conversamos, mudamos o panorama e passamos a acreditar mais na vitória. Esse campeonato vai ficar marcado para mim e se Deus quiser vamos conquistar a medalha de ouro", disse.

Para o técnico José Roberto Guimarães, tanto ela quanto Mari Paraíba entraram muito bem no jogo e ajudaram a fazer a diferença. E ele brinca com o fato de Joyce ter saído do time, mas ter brilhado no último set. "A Joyce desequilibrou no tie-break, mas não haveria o quinto set se a Mari e a Rosa não tivessem entrado bem", comentou.

O treinador, porém, rasgou elogios para Fê Garay, que anotou 28 pontos e foi uma gigante em quadra. "O que ela fez aqui foi excepcional. Tenho de ressaltar o quanto ela jogou. Foi uma líder na quadra e é isso que eu espero dela", concluiu o técnico, que já espera mais dificuldades na decisão do torneio, neste sábado, às 21h30 (de Brasília).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.