Zebra americana dobra a Fúria

EUA acabam com invencibilidade de 35 jogos da Espanha: vencem por 2 a 0 e vão à final

, O Estadao de S.Paulo

25 de junho de 2009 | 00h00

Após a eliminação da Itália na primeira fase da Copa das Confederações, nada parecia tão certo ao torneio como a decisão entre Brasil e Espanha, domingo, em Johannesburgo. Parecia, não fosse a aparição da persistente zebra americana.Ontem, em Bloemfontein, os EUA mantiveram sua trajetória surpreendente. Depois de seguir à semifinal pelo desempate nos gols marcados, a equipe dirigida por Bob Bradley derrubou a Fúria Espanhola, número 1 do ranking da Fifa, por 2 a 0.A reação dos representantes do soccer foi de êxtase - afinal, os campeões da modesta Copa de Ouro, organizada pela Concacaf, derrotaram a seleção vencedora da Eurocopa, invicta havia 35 jogos. "Tivemos uma grande noite. Os jogadores foram muito aplicados", exaltou Bradley. "A Espanha é um timaço, que merece respeito, mas sabíamos que essa era nossa grande chance."Considerada favorita ao título, a Espanha estreou no torneio de forma arrasadora, com a goleada por 5 a 0 contra a Nova Zelândia. Mas, depois, teve atuações irregulares nas vitórias contra o Iraque (1 a 0) e África do Sul (2 a 0). Mesmo assim, classificou-se com folga. Os EUA sofreram para passar da primeira fase. Duas derrotas (3 a 1 para a Itália e 3 a 0 para o Brasil) desenhavam a eliminação. Não fosse a vitória contra o Egito, por 3 a 0, na última rodada. No saldo de gols, os americanos eliminaram o Egito e, nos gols marcados, a Itália.A Espanha já contava como certa a presença na finalíssima. Mas encontrou um rival devotado. Apesar da melhor qualidade técnica, a equipe europeia viu todas as suas tentativas de ataque - e foram muitas - serem paradas pela aplicação dos americanos que, certamente, já passaram do estágio de aprendizes. Oportunistas, aproveitaram os erros espanhóis - primeiro, aos 17 minutos, com Altidore, depois, aos 28 da etapa final, com Dempsey. Resultado mais do que lamentado pelo técnico Vicente del Bosque, que negou menosprezo ao adversário. "Eles aproveitaram ao máximo suas chances. A nós, faltou o acerto final."Resta à Espanha disputar, no sábado, o 3º lugar da Copa das Confederações, em Rustenburgo. Espera-se, contra a África do Sul, de Joel Santana. A menos que a zebra, nativa do continente, apareça outra vez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.