Zeferina corre atrás de ano perfeito

Se na prova masculina as chances de vitória brasileira são escassas e dependem mais de "condições extra-pista", no feminino, as atletas do Brasil trazem expectativa de vitória reconhecida até mesmo pelas rivais africanas. Maria Zeferina Baldaia garantiu ontem que 2008 foi o melhor ano de sua carreira. "Faltava uma vitória internacional e realizei meu sonho com o título na Meia-Maratona de Stramilano (Itália)", afirmou a corredora, que encabeça a lista da esperança brasileira. Na temporada, ela venceu ainda a Maratona de São Paulo e a Meia-Maratona do Rio. A São Silvestre pode ser a cereja do bolo de uma temporada quase perfeita.Ainda no pelotão brasileiro, Marily dos Santos (única representante do País na Maratona dos Jogos de Pequim) e Marizete dos Santos (campeã da Maratona do Rio) são fortes concorrentes. Elas foram elencadas pela queniana Nancy Kipron, campeã da Volta da Pampulha e da 10 Nike 10K Rio, outra favorita. "Estou há três meses no Brasil pensando na São Silvestre", disse a queniana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.