Zico faz história e Milan cai

Fenerbahçe vai às quartas-de-final. Italianos perdem do Arsenal

O Estadao de S.Paulo

05 de março de 2008 | 00h00

Pela primeira vez na história, o Fenerbahçe está nas quartas-de-final da Copa dos Campeões. A classificação do time turco, dirigido por Zico e recheado de jogadores brasileiros, se deu de forma dramática. Ontem à noite, o Fenerbahçe eliminou o Sevilla nos pênaltis, após ter perdido por 3 a 2 no tempo normal - o que deixou o placar agregado do confronto em 5 a 5.O goleiro Volkan Demirel foi o herói do jogo, ao defender três penalidades - a última delas executada por Daniel Alves. No primeiro tempo, Demirel havia falhado em dois gols do Sevilla. O time espanhol chegou a estar vencendo por 2 a 0, gols de Daniel Alves e Keita, e depois por 3 a 1 (Kanouté fez o terceiro). Mas os dois gols de Deivid mandaram o jogo para a prorrogação.Os comandados de Zico - Edu Dracena, Alex, Deivid e os naturalizados Mehmet Aurélio e Vederson - suportaram a pressão e levaram a decisão para os pênaltis. Roberto Carlos, contundido, não jogou. O próximo adversário do Fenerbahçe vai ser definido em sorteio, a ser realizado no dia 14.O Milan está fora. Um tiro de fora da área do espanhol Fabregas, a seis minutos do fim, derrubou o atual campeão em pleno estádio de San Siro. O Arsenal venceu por 2 a 0 - o segundo gol foi do togolês Adebayor, nos acréscimos - e impediu o time de Kaká e Pato de tentar o heptacampeonato. Foi um prêmio ao melhor futebol do Arsenal. O Milan havia arrancado um empate por 0 a 0 no jogo de ida, em Londres, mas não teve forças para vencer em casa.O Barcelona jogou para o gasto, bateu o Celtic por 1 a 0, gol de Xavi (após ter vencido por 3 a 2 na ida), e também avançou às quartas-de-final. Mas lamentou a perda do argentino Messi, que deixou o campo com grave lesão muscular na perna esquerda.Em Manchester, o United despachou o Lyon. Após empatar por 1 a 1 na França - graças ao gol salvador de Carlitos Tevez - venceu ontem por 1 a 0, gol do português Cristiano Ronaldo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.