Zico não aceitaria convite para dirigir a seleção brasileira

Zico, técnico da seleção do Iraque, afirmou ontem que, se convidado, não aceitaria assumir a seleção brasileira. Para Zico, Mano Menezes deixou um time "pronto", e por isso o próximo a ocupar o cargo terá o trabalho "facilitado". Ele não aprova um treinador estrangeiro na seleção.

Tiago Rogero, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2012 | 02h08

"Não concordo", disse, após palestra na Soccerex, feira de negócios de futebol que está sendo realizada em Copacabana. "Não é questão de repudiar o (Pep) Guardiola, considero ele um ótimo treinador, fez um belo trabalho no Barcelona. O outro que está lá também está fazendo a mesma coisa, os resultados estão aí da mesma forma."

O treinador do Iraque afirmou que, por não trabalhar no Brasil, consideraria assumir a seleção algo injusto com os técnicos daqui. Para Zico, o próximo treinador vai pegar o time com "meio caminho andado". "Se o Mano tivesse tido um legado em 2010, a formação do time não teria demorado tanto. A maioria dos treinadores da seleção teve um legado dos times anteriores, mas de 2010 ninguém foi aproveitado."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCBFseleção brasileira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.