Javier Lopez / EFE
Javier Lopez / EFE

AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Zidane minimiza maus resultados do Real Madrid e pede apoio à torcida

"É fácil dizer que tudo está errado, mas não está. É fácil falar mal do Real Madrid, ele vende mais"

Estadão Conteúdo

12 Janeiro 2018 | 13h58

As coisas não estão tão ruins quanto parecem no Real Madrid. Pelo menos para o técnico Zinedine Zidane, que, em entrevista coletiva nesta sexta-feira, minimizou os maus resultados recentes da equipe e disse que as críticas da imprensa espanhola são exageradas.

+ 'Com Neymar na cabeça': Real Madrid tem plano de R$ 1,5 bi para trazer brasileiro

"É fácil dizer que tudo está errado, mas não está. É fácil falar mal do Real Madrid, ele vende mais", criticou o treinador. O clube madrilenho começou a sofrer uma pressão maior desde que foi derrotado por 3 a 0 para o Barcelona em casa, no Santiago Bernabéu.

Neste ano, o clube começou com vitória na Copa do Rei por 3 a 0 sobre o Numancia, da segunda divisão espanhola, mas depois apenas empatou com o Celta de Vigo por 2 a 2, em duelo válido pelo Campeonato Espanhol, e na última quarta-feira, apesar de avançar ao empatar em casa com o Numancia no jogo de volta, foi muito criticado pelo desempenho no Santiago Bernabéu.

"Tudo o que é dito sobre o Real Madrid é negativo, mas, na realidade, as coisas não são assim. A situação é que temos que temos que fazer o possível para melhorar. Ainda estamos vivos em todas as competições e temos que continuar avançando. Nós não estamos fazendo tão mal como as pessoas dizem", declarou.

A equipe de Zidane está nas quartas de final da Copa do Rei e nas oitavas de final da Liga dos Campeões, mas, no Espanhol, já está 16 pontos atrás do Barcelona e próximo de ver o rival levantar a taça.

De contrato renovado com o Real Madrid até 2020, Zidane disse que não está preocupado com as vaias da torcida no Bernabéu e pediu, inclusive, apoio aos torcedores merengues nos próximos desafios do time. O principal deles é contra o Paris Saint-Germain, no começo de fevereiro, pela Liga dos Campeões, competição que já venceu duas vezes como treinador.

"O que eu peço é que eles apoiem a equipe, como sempre fizeram", pediu. "Eu lhes diria que não ouvissem muito o que tem sido dito. Nos momentos difíceis, precisamos que os torcedores estejam do nosso lado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.