Turquia pede prisão de atletas e técnico por manipulação

Procuradores turcos pediram até dez anos de prisão para nove jogadores e um técnico envolvidos em um escândalo de manipulação de resultados. Outras 87 pessoas também foram acusadas nesta quarta-feira por agirem como membros de uma gangue criminosa, que violava regras de apostas ou realizavam ameaças.

AE-AP, Agência Estado

23 de junho de 2010 | 07h37

Os acusados, porém, não foram identificados. O Ministério Público disse que o grupo faturou US$ 30 milhões por ano através da manipulação de partidas, principalmente na segunda e na terceira divisão, e também com apostas ilegais.

A acusação do Ministério Público cita uma ligação telefônica em que um goleiro do Gaziantepspor, da segunda divisão da Turquia, concordou em sofrer dois gols em um jogo contra o Kayserispor. A data do julgamento ainda não foi definida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.