15 mil pessoas são realocadas por causa de estádios em Pequim

Informação é dada pelo Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Pequim e a prefeitura local, nesta terça

Efe

19 de fevereiro de 2008 | 17h13

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Pequim (Bocog, em inglês) e a Prefeitura da capital chinesa informaram nesta terça-feira que a construção de 12 novas instalações esportivas para o evento levaram ao realocadas de 14.901 pessoas que viviam em 6.037 imóveis demolidos. Zhang Jianming, um funcionário da Prefeitura de Pequim, afirmou que "nenhuma pessoa foi forçada a abandonar sua casa" e que todos os desalojados receberam compensações.Mais de dois terços das pessoas que tiveram que deixar suas casas (10.355) moram agora no chamado Olympic Green, área na qual foi construído o Estádio Olímpico e onde também estão localizadas as instalações de esportes como hóquei na grama e tiro com arco. Embora não queira informar o valor ao qual chegou a operação, disse que para os imóveis foram pagos um preço superior ao de mercado, o que "inclusive permitiu que algumas famílias comprassem um carro".O Bocog afirmou que as regiões de novas construções, criadas além do terceiro anel da capital chinesa, "foram escolhidas porque eram áreas com uma densidade populacional baixa". As informações divulgadas hoje contrastam com o valor de cerca de 1,5 milhão realocadas por ocasião dos Jogos apresentadas em junho de 2007 pelo Centro pelo Direito à Moradia (Cohre, sigla em inglês), uma ONG com sede em Genebra.O Cohre afirmou que várias pessoas foram realocadas contra a sua vontade, sendo avisadas com pouca antecedência e recebendo baixas compensações financeiras.

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.