Abastecimento de energia preocupa organizadores para Olimpíada

Membros do COI não escondem preocupação com o tema em reunião

Jamil Chade - Enviado especial ao Rio, O Estado de S. Paulo

31 de julho de 2016 | 05h00

A falta de recursos afetou uma das áreas mais importantes dos Jogos: o abastecimento de energia. Neste sábado, nos corredores da reunião do COI, membros não escondiam a preocupação.

Nos eventos-teste, o COI e as diversas federações internacionais se queixaram de problemas com o abastecimento de energia e da falta de um plano B, caso existam problemas. O que mais preocupa é que, se cada evento-teste ocorreu de forma isolada, agora as competições serão realizadas ao mesmo tempo. Ching Kuo Wu, um dos membros do Comitê Executivo do COI, confirmou a existência da preocupação.

Nos últimos meses, a concessionária Light recebeu isenções de cerca de R$ 85 milhões como forma de garantir uma ajuda para o abastecimento de energia nos Jogos. A empresa ainda indicou que vai querer implementar uma revisão das tarifas no futuro para compensar os investimentos com a Olimpíada.

Quem também tem cobrado uma resposta são as televisões estrangeiras, temerosas de que um apagão signifique o corte do sinal e, portanto, perdas milionárias com patrocinadores. "Se isso falhar, é uma questão global", disse François Carrard, membro do COI.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.