Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Acusados de estupro, boxeadores deixam a prisão no Rio

Atletas conseguiram habeas corpus nesta quinta-feira

Suellen Amorim, especial para a AE, Estadão Conteúdo

11 Agosto 2016 | 18h31

Os boxeadores Hassan Saada (marroquino), e Jonas Junius (namibiano), ambos acusados de cometer crime de estupro contra camareiras da Vila Olímpica, na Barra da Tijuca, zona Oeste do Rio de Janeiro, conseguiram habeas corpus e já deixaram a prisão, nesta quinta-feira.

Hassan Saada foi liberado por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), e a prisão foi substituída por medidas cautelares. A decisão do ministro Rogerio Schietti Cruz determina que o boxeador "não poderá frequentar a Vila Olímpica nem se aproximar das supostas vítimas ou das testemunhas do caso, não poderá deixar o Rio de Janeiro sem autorização judicial e terá de entregar o passaporte".

De acordo com o ministro, não há necessidade de mantê-lo preso, já que a periculosidade de Saada não teria sido comprovada.

Já o boxeador Jonas Junius teve a soltura determinada pelo Tribunal de Justiça do Rio, nesta quarta-feira, e já foi liberado. A determinação não o impede de competir nos Jogos Olímpicos. Essa decisão ficará a cargo do Comitê Olímpico Internacional (COI). Sua estreia na Olimpíada está marcada para o início desta noite.

PARTICIPE

Quer saber tudo dos Jogos Olímpicos do Rio? Mande um WhatsApp para o número (11) 99371-2832 e passe a receber as principais notícias e informações sobre o maior evento esportivo do mundo através do aplicativo. Faça parte do time "Estadão Rio 2016" e convide seus amigos para participar também!

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.