AIBA avisa que investigará juízes do boxe afastados do Rio-2016

Decisões de alguns árbitros causou polêmica durante os Jogos

Estadão Conteúdo

31 de agosto de 2016 | 10h19

A Associação Internacional de Boxe (AIBA, na sigla em inglês) informou nesta quarta-feira que seguirá com uma ação disciplinar contra os juízes que, na Olimpíada do Rio, foram afastados por decisões que "não estavam no nível esperado" durante algumas lutas.

Uma série de boxeadores, assim como fez a equipe do cubano Lázaro Álvarez, derrotado pelo brasileiro Robson Conceição na semifinal olímpica, protestou contra a contagem de pontos durante o Rio-2016. A AIBA, então, reviu todas as lutas durante a competição. E, após verificar algumas decisões polêmicas, ela afastou os juízes envolvidos antes mesmo do término dos Jogos.

Nesta semana, para avaliar o problema, uma comissão da AIBA se reuniu em Lausanne, na Suíça. E, segundo a associação, "indivíduos e federações associadas estão sendo encaminhados a uma comissão disciplinar para uma investigação aprofundada, que tomará depois medidas apropriadas".

A AIBA avisou ainda que todos os seus funcionários devem agir com códigos de respeito, justiça, integridade e transparência. Em virtude das falhas apresentadas no Rio-2016, a associação estuda implementar um sistema de pontuação com cinco juízes - atualmente são três - e rever o processo de certificação dos árbitros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.