AIBA investiga suspeita de manipulação de resultados no boxe

A controvérsia ronda o mundo do boxe,com a informação, nesta sexta-feira, de que a AssociaçãoInternacional de Boxe (AIBA) abriu uma investigação para apurarmanipulação de resultados. "Dois meses atrás houve um rumor de que existia um grupo depessoas almejando manipular os resultados de eventos", disseaos repórteres Tom Vigerts, membro da comissão disciplinar daAIBA. O corpo diretivo da entidade disse, em um comunicado, que apossível tentativa de manipulação pode ter sido feita pormembros da organização ou autoridades da competição. O Comitê Olímpico Internacional foi notificado e designouum observador independente para acompanhar a competição emPequim, informou o comunicado. Terry Smith, delegado técnico da AIBA, disse que não háevidência de manipulação e que está convencido de que acompetição olímpica foi justa. "Os assuntos refletidos aqui estão sob investigação,baseada em suspeitas que temos", disse Smith a repórteres."Nada foi provado ou refutado." A revelação das suspeitas por parte da AIBA seguem areivindicação de uma autoridade esportiva da Romênia dizendoque a escolha dos juízes e jurados foi manipulada durantes acompetição olímpica. Rudi Obreja, presidente da federação romena e delegadotécnico da AIBA, disse à imprensa que a escolha aleatória porcomputador do juiz e dos cinco jurados de cada luta não estavasendo respeitada pelas autorides técnicas do evento. ESCÂNDALO NO JULGAMENTO "Eles dizem 'este não', 'vamos substituí-lo por umargentino', e eles vinham fazendo isso -- eles trocavam osjuizes", disse Obreja. "Eles manipulam as lutas trocando os juizes." A AIBA reagiu, suspendendo Obreja por ter quebrado o códigode conduta que estipula que esse tipo de problema deve serresolvido internamente. Escândalos de julgamento e acusações de corrupção têmacompanhado o boxe nas Olimpíadas por décadas, e ameaçado apermanência do esporte nos Jogos depois da Olimpíada de Seul,em 1988. Um sistema eletrônico de pontuação foi introduzido depoisde uma série de decisões controversas em Seul, mas os problemasno boxe não terminaram. O COI ficou tão frustrado com o comportamento do boxe quetemporariamente congelou pagamentos à AIBA depois da Olimpíadade 2004. O presidente da AIBA, Wu Ching-kuo, que foi eleito em 2006,lançou uma série de reformas como parte do esforço para limparo esporte. "A AIBA está em processo de reforma desde a eleição (de Wu)e o desenvolvimento substancial em transparência e honestidadeficou evidente, com apenas quatro protestos em 249 lutas atéaqui", lia-se no comunicado da entidade, na sexta-feira. Tem havido, contudo, muita crítica quanto à pontuação, porparte de técnicos e boxeadores desde o início da competição. (Reportagem adicional de Julien Pretot)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.