Matsui Mikihito / CPB
Matsui Mikihito / CPB

Alana Maldonado derrota georgiana e conquista ouro no judô na Paralimpíada

Atleta se torna a primeira judoca brasileira campeã paralímpica ao derrotar Ina Kaldani

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de agosto de 2021 | 05h51

Alana Maldonado se tornou a primeira mulher brasileira a conquistar uma medalha de ouro no judô em Paralimpíadas, na categoria B1/B2 até 70kg. A brasileira superou a georgiana Ina Kaldani na decisão por ter aplicado um waza-ari ainda no começo da luta, que terminou sem outras pontuações.

O judô paralímpico é disputado por atletas com deficiência visual. Eles são divididos em três classificações: B1 (totalmente cegos), B2 (veem vultos) e B3 (veem imagens sem nitidez). Os atletas são posicionados pelos juízes já segurando o kimono do adversário no tatame.

Alana demonstrou grande emoção em entrevista ao SporTV após a conquista. "Não caiu a ficha ainda. Eu queria fazer história, conquistar o primeiro ouro paralímpico, assim como fiz no Mundial. Primeiro no Rio, em casa, depois campeã paralímpica na terra do judô, realizando meu sonho. Não tenho palavras para explicar", disse a judoca.

Na estreia, Alana venceu a italiana Matilde Laurie com um ippon aplicado em apenas sete segundos de combate e avançou para a semifinal. Em seguida, cerca de uma hora mais tarde, triunfou também com facilidade Raziye Ulucam, da Turquia, com ippon em um minuto e meio de luta. Na sequência, veio a luta e a vitória sobre Ina Kaldani.

Alana era considerada uma das esperanças de medalha do Brasil. Ela já havia sido a primeira judoca paralímpica brasileira campeã mundial, ao conquistar o título em 2018, e prata na Rio-2016. Alana treina no Palmeiras e conquistou a primeira medalha de ouro paralímpica da história do clube.

SEM MEDALHA

Pela primeira vez em sete Paralimpíadas, Antônio Tenório acabou sem medalha. Ouro em Atlanta, Sydney, Atenas e Pequim, prata no Rio e bronze em Londres, o brasileiro foi derrotado pelo uzbeque Sharif Khalilov. Na luta, Tenório consegiu um waza-ari no começo, e o adversário empatou faltando apenas três segundos para que a luta acabasse. No 'golden score', Khalilov conseguiu um ippon.

Em outra disputa, Arthur Cavalcante sofre ippon e é derrotado pelo ucraniano Oleksandr Nazarenko na luta pelo bronze da categoria até 90kg B1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.