Alemanha rejeita boicote à Olimpíada de Pequim

O Comitê Olímpico da Alemanha (Dosb, nasigla em alemão) anunciou na segunda-feira que decidiu nãoboicotar a Olimpíada de Pequim, mas manifestou preocupação coma violência no Tibet e em regiões vizinhas. O presidente do Dosb, Thomas Bach, disse em nota que seucomitê executivo pesou os prós e contras de um boicote, que foiproposto por alguns políticos, e decidiu contra tal medida. "Após cuidadosa consideração de todos os argumentos, o Dosbvai enviar uma equipe à Olimpíada de 2008", disse o comitê,acrescentando que uma resolução desse sentido foi aprovada porvárias organizações esportivas do país. "O esporte não é uma ferramenta adequada para aplicarpressão política. O esporte não está em condições de resolverproblemas que nem a ONU nem governos individuais foram capazesde resolver, apesar de décadas de esforços", acrescentou anota. Na opinião do comitê, boicotes não funcionam. "Isso já foiconfirmado por toda a experiência passada." "Acreditamos que oesporte está aí para promover o diálogo e a compreensãointernacional. O esporte constrói pontes, não muros." A nota assinada por Bach diz que "o boicote olímpico de1980 em Moscou não teve nenhum impacto positivo na questão dainvasão militar da União Soviética no Afeganistão". Há muitas críticas internacionais à repressão àsmanifestações deste mês no Tibet, região governada desde 1950pelos chineses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.