Eugene Hoshiko/ AP
Eugene Hoshiko/ AP

Alex Pires ganha prata na maratona, e Brasil iguala recorde de medalhas na Paralimpíada de Tóquio

Delegação brasileira alcança 72 medalhas em Tóquio e soma mesmo número de pódios da Rio-2016

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de setembro de 2021 | 21h37

O Brasil já havia conquistado o recorde de medalhas de ouro em Jogos Paralímpicos. Mas o último dia de competições em Tóquio guardou fortes emoções. Na maratona, o brasileiro Alex Pires conquistou a medalha de prata na classe T46, com o tempo de 2:27:00.

Com o resultado, a delegação brasileira iguala os pódios conquistados no Rio de Janeiro, em 2016. Na ocasião, o Brasil ficou com 72 medalhas. Na chegada da prova, Alex Pires repetiu o famoso gesto do "avaiãozinho" feito por Vanderlei Cordeiro de Lima, na maratona nos Jogos de Atenas-2004.

Alex Pires conseguiu se distanciar dos demais competidores ao longo da prova e viu o chinês Li Chaoyan abrir vantagem na primeira colocação. No fim, aumentaram as expecatativas para um possível ouro do brasileiro. Mas o chinês manteve a ponta da maratona e ficou com a medalha dourada (2:25:50). Não muito distante, o brasileiro completou a prova sem qualquer ameaça de perder a segunda posição. O japonês Tsutomu Nagata fechou na terceira posição e levou o bronze.

As provas deste domingo foram realizadas sob chuva, que, de certa forma, pode atrapalhar o desenvolvimento dos atletas. As largadas das classes foram feitas com curto intervalo entre elas.

Ainda neste último dia, o Brasil tem a expectativa de somar mais medalhas. Uma delas pode sair no badminton. Vitor Tavares enfrenta o britânico Krysten Coombs em busca do bronze.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.